PMEs terão R$ 1,2 bilhão para projetos de inovação

Recursos de financiamento serão colocados à disposição pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, até 2014

Brasil Econômico - Gustavo Machado |

Brasil Econômico

O ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, afirmou ontem que, até 2014, serão disponibilizados R$ 1,2 bilhão para pequenas e médias empresas financiarem seus projetos de inovação. A linha, fornecida por meio de editais da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), deverá priorizar companhias que não possuem acesso a linhas regulares da Finep e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O montante faz parte do plano TI Maior, ramificação do programa Brasil Maior para estimular o desenvolvimento de software no Brasil. O plano foi lançado pelo governo federal em agosto deste ano, com investimentos previstos de R$ 500 milhões até 2015. Do total, R$ 40 milhões serão destinados a empresas iniciantes, segundo indicou o governo na época do lançamento do programa.

Presente na abertura do Expocietec 2012, feira dedicada à inovação, Raupp também disse que espera que neste ano, o montante de financiamento para pesquisa e desenvolvimento no país supere a cifra de R$ 3 bilhões.

No último ano, segundo a Finep, os financiamentos ao setor produtivo somaram R$ 2,7 bilhões. “Existe uma demanda cada vez maior dos empresários por tecnologia. Temos de levar a ciência e tecnologia para todas os setores produtivos do país”, comentou Raupp.

A expectativa do ministro é que em 2013, os desembolsos da Finep cheguem a R$ 5 bilhões. Todos os recursos são oriundos do BNDES.

O ministro lembrou da Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, que pretende alavancar os investimentos em pesquisa e desenvolvimento no Brasil.

Até 2010, último dado consolidado do MCTI, apenas 1,16% do Produto Interno Bruto foi destinado para inovação. A meta do governo federal é expandir este valor para 2% até 2015. O segundo objetivo é dividir igualitariamente a participação do setor público e privado no desenvolvimento de projetos inovadores. “Nossa responsabilidade com a inovação é cada vez maior. Nunca tivemos tanto apoio de ministérios e associações”, comentou.

Startups

Também nesta segunda-feira, o MCTI publicou no Diário Oficial da União portaria em que institui programa de apoio a empresas iniciantes de produção de software e de serviços de tecnologia da informação.

O programa, chamado de “Start-Up Brasil”, tem por objetivos “fortalecer os setores científico, tecnológico e econômico do país, em especial o de software e serviços de tecnologias da informação”.

O texto não dá detalhes sobre orçamento de investimento nos projetos selecionados, mas afirma que o programa quer estimular “por meio do empreendedorismo, a ampliação da base tecnológica, a consolidação de ecossistemas digitais e o surgimento de um ambiente favorável a pesquisa, desenvolvimento e inovação”.

O Start-Up Brasil também integra o Programa TI Maior.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico

Leia tudo sobre: Economiaempresas

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG