Empresa investiu R$ 600 milhões na usina de Passo São João e tem capacidade para fornecer energia a 580 mil pessoas

A Eletrosul, controlada pela Eletrobras, inaugura hoje a Usina Hidrelétrica Passo São João, no Noroeste do Rio Grande do Sul, empreendimento que reposiciona a estatal no mercado de geração hidrelétrica. Eurides Mescolotto, presidente da companhia, explica que a usina, que contou com investimento de R$ 600 milhões, estará conectada ao Sistema Interligado Nacional (SIN). “É um grande empreendimento que vai cumprir com uma parte suficiente para o crescimento do país. A energia gerada vai abastecer o estado gaúcho assim como outros estados brasileiros”, afirmou o executivo ao BRASIL ECONÔMICO.

De acordo com o presidente, a usina marca uma retomada da condição de “empreendedores em geração e reconstituição do parque gerador”, após a privatização em 1998, quando a empresa tinha 6,5 gigawatts (GW) de capacidade geradora, entre empreendimentos em operação e em implantação.

Com potência de 77 megawatts (MW), resultado de duas unidades geradoras, o novo projeto da Eletrosul faz parte de um conjunto de investimento de mais de R$ 4 bilhões que a companhia está realizando no Rio Grande do Sul até o final de 2013. “Já utilizamos cerca de R$ 1,5 bilhão. Ainda vamos realizar mais investimentos em energia eólica”, destacou o executivo que ressalta que a unidade vai atender o consumo de 580 mil habitantes.

Para Mescolotto, a operação da Usina Passo São João é um marco para a Eletrosul, pois foi o primeiro empreendimento arrematado em leilão, em dezembro de 2005, depois que a empresa foi retirada do Plano Nacional de Desestatização e autorizada a retomar os investimentos em geração e transmissão. O executivo explica que a hidrelétrica, que tem reservatório de aproximademente 20 quilômetros quadrados, aproveita o potencial do rio Ijuí, nos municípios de Roque Gonzales e Dezesseis de Novembro.

Sobre os impactos da Medida Provisória 579, Mescolotto diz apenas que “está estudando os impactos para a empresa”, mas ressalta que vê como positivo a redução do custo de energia para a população, principalmente para o Rio Grande do Sul, que hoje é um dos maiores consumidores de energia.

Projetos

Com maior parte dos investimentos no setor eólico, Eurides Mescolotto, presidente da Eletrosul, está disposto a ganhar cada vez mais espaço nesse segmento. Atualmente a companhia está em fase de construção do Complexo Eólico Livramento, com capacidade de geração de 78 MW, além de outros dois empreendimentos em implantação no litoral sul gaúcho, que vão somar mais 402 MW.

No ano passado, a empresa implantou seu primeiro empreendimento eólico em Sant’Ana do Livramento, na fronteira com o Uruguai. De acordo com dados da companhia, o empreendimento chamado de Complexo Cerro Chato tem capacidade instalada de 90 MW. Segundo o presidente, a empresa também fará investimentos para a inauguração de seis subestações, além de mais de 1,3 mil quilômetros de linhas de transmissão que vão ajudar a integrar o sistema.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.