Há 17 anos, Comunicação Estratégica mantém com sucesso campanha bem-humorada e elegante para satisfazer os desejos da classe A do Rio de Janeiro. Comente

Elegância, bom humor, criatividade e, claro, belas mulheres. Essa é a receita de sucesso dos anúncios do motel Bambina, localizado no Rio. Há 17 anos, a campanha publicitária, criada pela agência Comunicação Estratégica, foge do padrão de propagandas de motéis ao usar tiradas divertidas que fazem sucesso em um jornal carioca e, mesmo após tanto tempo, seguem despertando a atenção do público e do mercado.

Leia mais sobre publicidade:  Em Parintins, marcas mudam de cor por causa dos bois

Quase tudo serve de inspiração para os anúncios. Não importa o tema. Entre os episódios recentemente utilizados estão a visita do presidente norte-americano Barack Obama ao Brasil , a conferência Rio+20 , a escolha do Rio pela Unesco como patrimônio da humanidade , a campanha nacional do desarmamento e até mesmo a ida da Luiza ao Canadá .

“O brasileiro tem um humor sacana e gosta de levar fatos do dia-a-dia para a brincadeira. Achei que dava para fazer isso de maneira elegante e picante, fugindo da obviedade das propagandas de motéis, com fotos de camas e piscinas”, diz o diretor da Comunicação Estratégica, Amandio Aleixo, que tem carta branca dos donos do Bambina para criar as peças publicitárias.

Equipe da agência Comunicação Estratégica reunida, com Amandio Aleixo ao centro
George Magaraia
Equipe da agência Comunicação Estratégica reunida, com Amandio Aleixo ao centro

Mensagens subliminares

No início deste mês, a falta do jogador Adriano ao treino do Flamengo , menos de duas semanas depois de ser apresentado, virou tema de um anúncio. “Treinamento assim, ninguém falta” era a frase estampada ao lado de um belo par de coxas femininas, devidamente vestidas com meiões, apoiadas em uma bola de futebol.

As brincadeiras geralmente não dão problemas, segundo o diretor da Comunicação Estratégica. “As pessoas relevam porque é tudo muito subliminar. O cara sabe que é dele que estamos falando, mas não pode afirmar. Essa é graça”, conta. Uma vez, no entanto, uma propaganda causou dor de cabeça.

A saída do técnico Muricy Ramalho do Fluminense , alegando falta de estrutura no clube e a existência de ratos no vestiário, rendeu um anúncio. “Muricy, se nas Laranjeiras não tem estrutura, vem para Botafogo (bairro onde está localizado o motel)”. “Nesse dia, estava em São Paulo e o dono do Bambina me ligou apavorado porque estava recebendo ligações anônimas de torcidas organizadas do Fluminense . Ameaçaram ir ao hotel jogar coquetel molotov!”, relembra Aleixo, rindo. Felizmente, as ameaças não se concretizaram.

O diretor de arte Emílio Dossi durante a criação de mais um anúncio da campanha do motel Bambina
George Magaraia
O diretor de arte Emílio Dossi durante a criação de mais um anúncio da campanha do motel Bambina

Parceria duradoura

A parceria da agência de publicidade com o Bambina surgiu na inauguração do motel. Localizado na zona sul da capital fluminense, o empreendimento foi criado para atender à classe A e, para os donos, o sucesso do negócio dependeria de uma estratégia de comunicação bem alinhada. O cuidado existente nas dependências do motel deveria estar refletido nos anúncios.

“A cozinha possui um chef internacional, a carta de vinhos foi feita por um diretor da Associação Brasileira de Sommeliers e a água das banheiras de hidromassagem é filtrada por raios ultravioletas. A campanha é reflexo do hotel e o hotel é reflexo da campanha. Você não pode chegar lá com uma expectativa de encontrar algo especial e não encontrar. Levamos o anúncio da maneira mais inteligente possível porque quero falar com a classe A”, avalia Aleixo.

Confira o blog Consumo e Propaganda

O sucesso gerado despertou a atenção da concorrência. Há alguns anos, um hotel semelhante ao Bambina foi aberto em um bairro vizinho e os donos procuraram a agência de comunicação para solicitar uma campanha nos mesmos moldes. “Disse que não podíamos atender à concorrência e ofereceram pagar mais, mas a questão não era valor”, conta o executivo.

Mesmo assim a concorrência foi em frente e passou a publicar seus anúncios semelhantes no mesmo jornal e dia que a Comunicação Estratégica veiculava os seus. Detalhe: na página ao lado. “Era uma tentativa tosca de cópia. Baseado nisso, fizemos uma campanha com o mote ‘Rejeite imitações, Bambina só tem um’. Criamos anúncios com logos pirateadas, como a coroa do Rolex pela metade e o boneco do (whisky) Johnnie Walker andando para o lado errado”. A campanha foi usada por um mês e, depois disso, a concorrência sumiu.

Brincadeira no hall do elevador da agência de publicidade
George Magaraia
Brincadeira no hall do elevador da agência de publicidade

Livro de memórias

A Comunicação Estratégica foi criada no Rio em 1990 com o conceito de ser uma agência full service. Hoje, a empresa possui 40 funcionários lotados na sede na capital fluminense e em um escritório em São Paulo. Em suas dependências, a decoração chama a atenção. Pantufas, copos diferentes e bonequinhas reinam no local. Na mesa de Aleixo não é diferente. São muitos os objetos com a temática Disney, lembranças do curso de marketing que o executivo fez no Disney Institute, nos EUA.

“Quando falamos em agência todo mundo pensa em pessoas loucas e criativas, mas ela também tem uma parte de planejamento muito forte, de análise, gente séria que aliada à parte criativa faz a máquina andar”, diz o diretor, completando que as metas são bem definidas. “No aspecto business você sai daquela criação por insight. Não tem aquilo de hoje estou mal. O cara tem dez coisas para fazer e elas têm que sair. Você aprender a adestrar e a tornar a criatividade em algo habitual”.

Com 30 clientes, entre eles Peugeot, Editora Record e a construtora Queiroz Galvão, a agência atinge um faturamento anual de aproximadamente R$ 25 milhões. Em termos financeiros, a conta do motel Bambina é considerada pequena. “Mas o peso criativo é o mesmo, todo mundo gosta de fazer por ser divertida”, conta.

Por falta de tempo, um projeto vem sendo deixado para o futuro. Transformar o acervo de 17 anos dos anúncios do Bambina em um livro. As 100 propagandas mais emblemáticas vão ser escolhidas e cada uma terá sua história – como surgiu a ideia e as repercussões causadas – contada em poucas linhas. “Temos uma legião de fãs. A cada anúncio, cerca de 170 pessoas ligam para o motel. É incrível a visibilidade que o Bambina nos dá, até mesmo pela longevidade”, conclui.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.