Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Empresas de serviço não-financeiro geram receita de R$ 501 bi em 2006

BRASÍLIA - O Brasil tinha, em 2006, 958.290 empresas de serviços não-financeiros, que geraram R$ 501,1 bilhões de receita operacional líquida, resultado 11,33% superior ao de 2005. As companhias tiveram R$ 278,2 bilhões de valor adicionado, pagaram R$ 95,1 bilhões em salários e remunerações e ocuparam 8,152 milhões de pessoas. As companhias com 20 ou mais pessoas ocupadas - o chamado estrato certo - responderam por 4,7% do total, ou 44.992 empresas, mas geraram 80,2% da receita líquida, o equivalente a R$ 403,5 bilhões.

Valor Online |

O estrato certo foi responsável ainda por 75,1% do valor adicionado do setor de serviços, por 76,3% dos salários e remunerações e 63,1% do pessoal ocupado em 2006. Os dados constam da Pesquisa Anual de Serviços 2006, divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No geral, os Serviços Prestados às Famílias responderam por 308.205 empresas, 32,2% do total, seguido por Serviços Prestados às Empresas, com 23,4% do total de companhias no país em 2006.

A maior participação na receita líquida ficou com o setor de Transportes, Serviços Auxiliares aos Transportes e Correios, com R$ 149,7 bilhões, o equivalente a 29,9% do total. Serviços de Informação representaram 28,7% da receita total e Serviços Prestados às Empresas vieram a seguir, com 21,5%.

Os Serviços Prestados às Empresas tiveram ainda a maior participação no valor adicionado, com 28,9% do total. Com R$ 80,3 bilhões de valor adicionado, o resultado é fruto de valor bruto de produção de R$ 110,2 bilhões, para um consumo intermediário de R$ 29,9 bilhões. A seguir vieram Transporte, Serviços Auxiliares aos Transportes e Correios, com 25,4% do valor adicionado total, e Serviços de Informação, com 24,5%.

Além do maior valor adicionado, os Serviços Prestados às Empresas também ficaram com a liderança em pessoal ocupado e salários e remunerações. O segmento empregou 2,954 milhões de pessoas em 2006, o equivalente a 36,2% do total, destinando R$ 31,6 bilhões para pagamentos de salários e remunerações, representando 33,2% do total.

(Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG