Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Empresário espanhol e Agra compram a Abyara

O polêmico empresário espanhol Enrique Bañuelos é o mais novo protagonista do mercado imobiliário brasileiro. Ontem, ele fechou, junto com a Agra, a compra do controle da incorporadora Abyara.

Agência Estado |

A Veremonte Participações, empresa de investimentos do espanhol, ficará com 70%, e a Agra, com os demais 30% da empresa.

O pagamento será feito em dinheiro em até cinco anos, de acordo com uma fonte que acompanhou as negociações. Será feito também aporte de capital no valor de R$ 100 milhões na Abyara para que a empresa possa concluir seus projetos. Os atuais administradores da Agra ficariam à frente das duas empresas.

Os fundadores da Abyara - Celso Minoru Tokuda, Arnaldo Curiati e Emilio Westermann - e o fundo imobiliário do banco Morgan Stanley são os detentores dos 62% de participação que estão sendo vendidos. Do lado dos vendedores, o mediador foi o Morgan Stanley. O Bradesco BBI assessorou a Agra, segundo a fonte. O espanhol teria negociado sozinho.

Conforme a fonte, a negociação com Bañuelos foi condicionada à reestruturação das dívidas da companhia com sete bancos: Bradesco, Unibanco, HSBC, UBS Pactual, Votorantim, Fibra e ABC. A reestruturação já foi concluída. Os bancos teriam concordado com o alongamento da dívida, com carência de três anos para pagamento.

Parte da dívida da Abyara também será paga com terrenos da companhia. O endividamento total da Abyara, em 30 de setembro de 2008, era de R$ 444,809 milhões. A dívida líquida estava em R$ 387,744 milhões.

Na semana passada, foi noticiado que as conversas entre o espanhol e a Abyara estavam avançadas. Dois dias depois, a Abyara confirmou que as negociações existiam.

HOLDING
No começo de fevereiro, a Agra já havia feito negócios com Bañuelos. A Veremonte Participações comprou 6,6% da companhia. Em reportagens publicadas na Espanha, o nome da Agra aparecia na lista de alvos do empresário, que chegou a ser um dos 100 homens mais ricos do mundo em 2007, de acordo com a revista Forbes.

Bañuelos, hoje uma estrela decadente no mercado imobiliário espanhol, está de olho nas empresas brasileiras desde o ano passado. Depois de ser processado pela Justiça espanhola por administração desleal e manipulação das ações da sua Astroc, hoje em concordata, ele teria escolhido o Brasil para se reerguer. Por aqui, já teria contratado 10 funcionários para tocar futuros negócios.

Ciceroneado pelo empresário brasileiro Israel Klabin, o espanhol tem feito viagens constantes a São Paulo e Rio de Janeiro desde outubro, a bordo do seu jato particular, um Falcon 900. Seu objetivo é formar uma holding com seis a dez empresas imobiliárias. Além de Abyara e Agra, fala-se em Tecnisa, Rossi, Klabin Segall e Even.

Como o empresário saiu arruinado da crise, a grande dúvida é a origem do dinheiro para bancar o novo projeto. Uma reportagem publicada recentemente no jornal espanhol El Mundo relembra que a Astroc foi construída do nada: "Sua estratégia de negócio foi especular com terreno - comprar barato para vender caro. Utilizando informação privilegiada, adquiriu milhões de metros quadrados de solo rústico que se requalificaram."

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG