SÃO PAULO - Dando continuidade a um negócio iniciado em agosto do ano passado, a GP Administradora pretende abrir o capital da San Antonio International, empresa que atua na prestação de serviços para o setor de petróleo e gás. San Antonio foi o nome dado à antiga subsidiária latino-americana da Pride International, adquirida pela GP por US$ 1,02 bilhão em agosto do ano passado.

A companhia, com sede em Bermudas, pretende acessar o mercado brasileiro com a emissão de Brazilian Depositary Receipts (BRDs - instrumento que permite que empresas estrangeiras tenham ações negociadas no Brasil). Os pedidos de registro de companhia aberta e analise para oferta primária e secundária de BDRs já estão sob análise da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Cada BDR será representativo de uma ação ordinária da companhia. O montante que será ofertado assim com o preço estimado por papel ainda não foram definidos. A coordenação está a cargo do Itaú BBA, Credit Suisse e Deutsche Bank.

De acordo com a minuta do prospecto preliminar, os investidores de varejo poderão tomar parte na distribuição, com valor mínimo de investimento de R$ 3 mil.

Com a oferta primária, a companhia pretende captar recursos para seu plano de investimento e para o pagamento de empréstimo contratado para o financiamento de aquisições.

No prospecto, a San Antonio se apresenta como líder na prestação de serviços relacionados à exploração de poços de petróleo e gás onshore na América Latina, com atuação em bacias na Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Peru, Venezuela e México.

A frota da companhia é formada por 71 sondas de perfuração e 176 de intervenção para operações onshore, além de 2 sondas flutuantes de perfuração e 4 de intervenção para operações offshore em águas rasas.

No prospecto, a companhia destaca a aquisição da Sotep, também prestadora de serviços no setor, em um negócio de R$ 190 milhões fechado em abril de 2008.

O controle da companhia é da GP Administradora com 55,3% das ações ON. O segundo maior acionista é a empresa de investimentos Amber Investment, com 22,6% do capital. Também figura como acionista a Dunearn Investments, empresa controlada pelo fundo soberano de Cingapura, o Temasek Holdings, com 11,8% do capital.

Com participações inferiores a 5% estão a Dilurey, da Pampa Holding - empresa que atua na geração de energética na Argentina -, Point Eleven e Itaparica Holding, que tem como fundadores membros do conselho de administração.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.