Rio de Janeiro, 16 mar (EFE).- A mineradora MPX Energia, controlada pelo multimilionário Eike Batista, anunciou hoje que iniciará a exploração de uma reserva de carvão mineral na Colômbia em 2012.

A empresa enviou um comunicado à Bolsa de Valores de São Paulo para detalhar o Plano de Negócios para a MPX Colômbia, sua subsidiária no país andino da qual é proprietária integral.

A companhia informou que os trabalhos de prospecção feitos até fevereiro na região permitiram identificar recursos potenciais de até 1,740 milhão de toneladas de carvão.

"O êxito obtido até agora na campanha de prospecção, somado à aquisição de um lugar estratégico para construir um porto próprio, garantem o desenvolvimento de um sistema integrado com capacidade para produzir 20 milhões de toneladas por ano", assegura o comunicado.

As concessões da MPX na Colômbia se estendem por 66.225 hectares ao longo de 25 quilômetros na chamada Formação Cerrejón, no departamento de La Guajira, no extremo norte do país. O projeto prevê a exploração de três minas ao ar livre (Cañaverales, Papayal e San Benito) e da mina subterrânea de San Juan.

Segundo o Plano de Negócios, o porto próprio da MPX na Colômbia começará a operar em 2013 em uma área de 521 hectares localizada no Caribe colombiano, a cerca de 150 quilômetros das minas.

O carvão colombiano abastecerá diferentes instalações térmicas de geração de energia da companhia no Brasil e no Chile.

"A MPX Colômbia preparou um rigoroso cronograma de atividades para a obtenção das licenças ambientais, concessões e expropriações necessárias para a implementação de seu sistema integrado que permitirá cumprir a tempo as metas estabelecidas pelo Plano de Negócios", acrescenta o comunicado.

A empresa é controlada por Eike Batista, considerado pela revista americana "Forbes" o segundo homem mais rico da América Latina, com uma fortuna estimada em US$ 27 bilhões.

Também fazem parte do grupo EBX de Eike as empresas OGX (petróleo e gás), LLX (infraestrutura e logística), MPX (geração de energia) e MBX (imobiliário). EFE cm/pb/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.