Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Empresa conclui que situação da Aerolíneas Argentinas é pior que o previsto

Buenos Aires, 12 dez (EFE) - O relatório final elaborado pela Auditoria Geral da Nação (AGN) sobre o estado contábil da Aerolíneas Argentinas indica que a situação patrimonial da empresa é pior que a apontada no estudo preliminar e que a informada pelo grupo espanhol Marsans, dono da companhia.

EFE |

Segundo a imprensa local, a auditoria determinou que a empresa e sua subsidiária Austral somavam em conjunto um patrimônio líquido negativo em 17 de julho de 2,515 bilhões de pesos (US$ 733,2 milhões).

Em um relatório preliminar, a AGN tinha afirmado que o patrimônio negativo era de 2,19 bilhões de pesos (US$ 638,4 milhões), embora sujeito a ajustes, pois seu trabalho de revisão contábil não estava concluído.

Os estudos contábeis apresentados pela Marsans, o patrimônio negativo das empresas era de 894 milhões de pesos (US$ 260,6 milhões) até 17 de julho, quando o grupo espanhol assinou um acordo para vender a companhia ao Estado argentino.

A negociação naufragou pelas diferenças entre as partes sobre o valor das ações da empresa.

Segundo o relatório da AGN, apresentado perante o Parlamento argentino, os números finais "confirmam a situação de progressiva deterioração econômico-financeiro das companhias aéreas auditadas".

O trabalho de auditoria também determinou que em 17 de julho a Aerolíneas Argentinas acumulava perdas líquidas de 673 milhões de pesos (US$ 196,2 milhões), enquanto o prejuízo da Austral era de 130 milhões de pesos (US$ 37,9 milhões).

Além disso, explica que de julho até 5 de dezembro o Estado desembolsou 897 milhões de pesos (US$ 261,5 milhões) para manter operacionais as companhias. EFE nk/db

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG