Tamanho do texto

LA PAZ - O consórcio boliviano-argentino Iecsa-Incico-Molavi e a construtora brasileira OAS apresentaram suas ofertas para a execução das obras de ampliação da rodovia La Paz-Oruro, no planalto boliviano, informou hoje a agência estatal ABI.

O projeto, que inclui obras complementares neste trecho de 220 quilômetros, tem um preço de referência de US$ 272,2 milhões, informou o Ministério de Serviços e Obras Públicas em comunicado.

A Administradora Boliviana de Estradas (ABC) terá que escolher entre a proposta do grupo boliviano-argentino, que apresentou uma oferta de US$ 265 milhões para essa obra ou o da brasileira, que fez uma proposta de US$ 283,9 milhões.

A OAS é também a empresa candidata a continuar as obras em outra estrada do sul do país, que vai ligar as cidades de Tarija e Potosí, depois que o Governo rejeitou a oferta da também brasileira Queiroz Galvão para terminar a construção dessa via.

A obra na estrada La Paz-Oruro cobre a reabilitação da estrada entre a sede do Governo e a cidade divisória de El Alto.

A licitação estabelece que o proponente deve tramitar o financiamento da construção, assim como oferecer um projeto posto em serviço, o que passa pela revisão de projeto, execução de obras, controle de qualidade, instalações, equipamento, manutenção e colocação em funcionamento.