Houston, 17 out (EFE) - Um grupo de defesa dos direitos dos trabalhadores acusou uma empresa de Houston de fraude por salários atrasados de operações de limpeza realizadas principalmente por imigrantes de origem hispânica depois do furacão Ike.

O escritório em Houston da organização sem fins lucrativos Interfaith Worker Justice divulgou na quinta-feira um comunicado de imprensa no qual afirma que a companhia Timber Wood Carpentry deve um valor ainda não determinado a pelo menos 175 trabalhadores.

Na terça-feira passada, várias das pessoas afetadas foram ao escritório que Timber Wood Carpentry tem no norte de Houston para reivindicar seus cheques de pagamento, mas, segundo disseram à Agência Efe alguns dos afetados, ninguém os atendeu.

"Tenho US$ 700 em dívidas se forem somadas as horas regulares e extraordinárias que trabalhei", afirmou à Efe Adis Ramírez, uma hondurenha de 38 anos.

Já Johnny Mendez, um hondurenho de 27 anos, assinalou que deve receber US$ 363 pelas horas trabalhadas, com base nos US$ 11 que a empresa lhe tinha prometido como remuneração por hora.

Por sua parte, Fernando Pérez, um dos supervisores da Timber Wood Carpentry em Houston, disse que 96 pessoas estão com salários atrasados e assegurou que "os cheques já estão prontos".

No entanto, acrescentou que alguns dos trabalhadores que se queixaram "estão tentando roubar a companhia, porque querem receber mais horas das que trabalharam".

Laura Boston, porta-voz da Interfaith Worker Justice, afirmou à Efe que a atitude da empresa denota uma "indiferença insultante" à saúde destas pessoas.

Ela acrescentou que a organização pressionará para que o Departamento de Trabalho e a Administração para a Segurança e Saúde Ocupacional (Osha, em inglês) iniciem investigações. EFE afo/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.