Segundo o IBGE, o emprego na indústria subiu 0,6% em fevereiro; o avanço acumulado nos dois primeiros meses do ano foi de 0,90%

O emprego industrial subiu 0,6% em fevereiro, na comparação com um mês antes, na série com ajuste sazonal. Foi o segundo incremento consecutivo, com avanço acumulado de 0,9% no primeiro bimestre de 2010, conforme pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Perante fevereiro de 2009, o indicador aumentou 0,7%, "o primeiro resultado positivo desde novembro de 2008", sendo que nove dos 14 locais avaliados contrataram mais, como São Paulo (1,4%), região Nordeste (2,9%) e Ceará (8,5%).

Ainda considerando o confronto anual, 12 dos 18 ramos investigados pelo IBGE registraram ampliação de pessoal, sobressaindo papel e gráfica (8,2%), têxtil (4,6%), alimentos e bebidas (1%) e calçados e couro (3,2%). Na outra ponta, enxugaram suas equipes madeira (-12,5%) e vestuário (-3,4%).

O levantamento mostrou ainda que o valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria teve alta de 2,7% entre janeiro e fevereiro, acumulando ganho de 8,2% nos dois primeiros meses do ano. No confronto com fevereiro de 2009, houve aumento de 2,8%.

Em 12 meses, no entanto, o IBGE anotou queda, de 2,5%. O número de horas pagas aos trabalhadores da indústria, por sua vez, mudou de direção, indo de uma queda de 0,3% no início de 2010 para uma elevação de 1,5% em fevereiro. Em relação ao segundo mês do ano passado, o avanço foi de 1,6%, a primeira leitura positiva desde outubro de 2008. No primeiro bimestre deste exercício, ante um ano atrás, o emprego industrial caiu 0,2% e a folha de pagamentos real cresceu 2,3%. O número de horas pagas, por sua vez, teve ampliação de 0,7%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.