Quatro executivos da Rio Tinto levados a julgamento em Xangai, incluindo o australiano Stern Hu, declararam-se culpados por receberem subornos, disseram os advogados nesta segunda-feira na audiência.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237562643568&_c_=MiGComponente_C

Hu e três empregados chineses da mineradora Rio Tinto - Liu Caikui, Ge Minqiang e Wang Yong - estão sendo julgados pela acusação de aceitar suborno e violar segredos comerciais.

"Stern Hu definitivamente declarou-se culpado (por receber suborno)", disse Tao Wuping, advogado do réu Liu Caikui.

Tom Connor, cônsul da Austrália em Xangai, disse a jornalistas que Hu foi acusado de receber propinas de 1 milhão de iuans (US$ 146,5 mil)  e US$ 790 mil.

"O sr. Hu fez algumas admissões relativas a algumas dessas quantias de suborno, então de fato admitiu a verdade de algumas dessas quantias de suborno", disse Connor.

Os advogados dos três réus chineses disseram que seus clientes também admitiram receber suborno, mas rejeitaram algumas das acusações feitas pelos promotores.

"Parte da acusação não deveria constituir crime", disse o advogado Tao, referindo-se a seu cliente, Liu, que foi acusado de receber 3,7 milhões de iuans em suborno.

Wang Yong admitiu ser "culpado em parte", disse seu advogado, Zhang Peihong.

Zhang afirmou que US$ 9 milhões do que Wang estava sendo acusado de receber como suborno era "lucro (legítimo) de um acordo de minério de ferro".

O julgamento vai continuar até quarta-feira, sendo que as acusações sobre segredos comerciais devem ser ouvidas na terça-feira, segundo os advogados.

Compromisso com a China

Enquanto o julgamento começava em Xangai, o presidente-executivo da Rio Tinto, Tom Albanese, dizia a uma plateia em Pequim que a mineradora anglo-australiana não quer prejudicar suas relações empresariais com a China, maior mercado consumidor de minério de ferro.

Ele afirmou que o processo judicial "obviamente nos causa grande preocupação". "Só posso dizer que aguardamos respeitosamente o resultado do processo judicial chinês", acrescentou ele.

"Continuamos comprometidos em fortalecer nossa relação com a China, não só porque vocês são nossos maiores clientes, mas porque vemos vantagens empresariais de longo prazo para ambos de nós."

Jornalistas estrangeiros não puderam assistir ao evento, e a Rio Tinto divulgou por email o discurso de Albanese.

Processo Judicial

Os quatro funcionários da Rio foram detidos em meados de 2009, em meio às complicadas negociações sobre o preço do minério de ferro. Na época, a imprensa chinesa disse que os quatro buscavam informações sobre minas e siderúrgicas chinesas, o que muitas empresas considerariam ser informações de mercado legítimas. A Rio Tinto diz que seus empregados não fizeram nada de errado.

A imprensa estrangeira não pode acompanhar o julgamento, e a China também impediu diplomatas australianos de assistirem à parte do julgamento relativa a segredos comerciais. O governo australiano reclamou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.