Dois anos após fechar um lava–rápido, Marcos Mendes voltou a investir no setor de limpeza automotiva e conseguiu ter sucesso com a AcquaZero

O empresário Marcos Mendes desistiu da área de TI para criar a AcquaZero
Divulgação
O empresário Marcos Mendes desistiu da área de TI para criar a AcquaZero

Os  empreendedores de sucesso costumam ser insistentes. Alguns fazem inúmeras tentativas até encontrar a área em que conseguirão exercer com êxito o dom da gestão de negócios. Marcos Mendes, hoje um empresário bem-sucedido, um dia já precisou insistir – e o fez de maneira curiosa: resolveu investir no mesmo setor em que, dois anos antes, havia passado por uma falência. O movimento, apesar de arriscado, foi certeiro. Em 2016, Mendes deve faturar R$ 40 milhões com a AcquaZero. 

+ Empreendedor endividado começa negócio com R$ 300 e hoje fatura R$ 20 milhões

Negócio-relâmpago

Enquanto ainda era funcionário de uma empresa de TI, em 2007, Mendes pensou na possibilidade de empreender para conseguir uma renda extra ao final de cada mês. Para concretizar a ideia, juntou cerca de R$ 15 mil e abriu um lava-rápido na Zona Sul de São Paulo. Uma das regras não oficiais mais importantes do universo empreendedor, no entanto, diz que o empresário precisa de tempo para dedicar ao seu negócio – algo que Mendes estava longe de ter.

O resultado da pouca atenção que o proprietário era capaz de dar ao estabelecimento foi o final prematuro das atividades, motivado pelo rendimento insuficiente do negócio. "Tive esse lava-rápido por oito ou nove meses. Ele não estava sendo bem administrado. Eu ficava somente aos finais de semana", lembra Mendes.

Segunda tentativa

Com foco voltado novamente à área de TI, Mendes passou os próximos dois anos sem pensar em empreender – até que uma notícia mudou os rumos da vida do empresário: ele seria pai. 

Para conseguir dar a devida atenção ao filho que estava por vir, Mendes decidiu que era preciso deixar seu emprego atual, que exigia trabalhos de madrugada e aos finais de semana. Como também não poderia se dar ao luxo de ficar sem ganhar dinheiro por muito tempo, a solução foi buscar novamente o empreendedorismo. Ao pensar na área em que desejaria atuar, Mendes não teve dúvidas: a escolha certa seria o setor de estética automotiva. 

"Comecei a pesquisar o mercado e pensei em investir na área de estética automotiva, mas resolvi inovar", conta. E foi justamente a inovação que evitou um final semelhante ao de seu primeiro investimento. Mendes pegou o dinheiro da rescisão, juntou com outra parte que havia guardado e contratou um químico para desenvolver um produto que fosse capaz de limpar um carro usando o mínimo de água possível. Assim nasceu a AcquaZero. 

+ Como irmãos transformaram Kombi velha em negócio milionário

Apesar de a limpeza ecológica, por si só, representar inovação no serviço de estética automotiva, era preciso buscar outro diferencial, pois já existiam algumas empresas na área. "Quando idealizei a empresa, eu olhava pro mercado e via que já existiam concorrentes, mas eram concorrentes que estavam querendo elitizar este serviço. Os pontos eram em shoppings de alto padrão. Eu entrei pensando em popularizar e isso foi um grande tiro certeiro", afirma Mendes.

A AcquaZero hoje conta com 240 unidades em funcionamento no Brasil; meta é terminar 2017 com 350
Divulgação
A AcquaZero hoje conta com 240 unidades em funcionamento no Brasil; meta é terminar 2017 com 350

Mesmo com um projeto já formatado para franquias, Mendes resolveu começar com uma loja própria. O momento de transição para o franchising apresentou algumas complicações para o empreendedor, mas era necessário superá-las para alcançar o sucesso na área. "No começo foi bem difícil essa fase de sair da operação de lava-rápido para virar franquia. As pessoas ainda tinham muito preconceito com este serviço, então nós fechamos no vermelho os dois primeiros anos", revela. 

Crise hídrica para quem?

Após as dificuldades iniciais, a empresa começou a se estabilizar, conseguir franqueados e captar clientes, mas o verdadeiro "boom" do negócio veio com a crise hídrica em 2014. Na época, os níveis dos reservatórios de água de grandes cidades foram reduzidos drasticamente, em decorrência de uma forte seca e diversos erros de planejamento. A escassez obrigava as pessoas a procurarem formas de economizar o recurso, fazendo com que a AcquaZero surgisse como opção. 

Além disso, Mendes acredita que a crise econômica também tenha sido positiva para o seu negócio. "Mesmo nessa época de crise, as lojas da AcquaZero não sofreram tanto, porque o índice de venda de carros zero em 2015 e 2016 foram 40% mais baixos do que nos anos anteriores. As pessoas não estão mais comprando veículos novos, então elas precisam cuidar do carro usado. Isso fez com que o faturamento subisse nas unidades", afirma o empresário. 

Inovação anual

De acordo com Mendes, a empresa procura lançar a cada ano algum serviço inovador. O último deles foi a Franquia na Mochila, que permite ao franqueado fazer um investimento reduzido, inferior a R$ 4 mil, e atender sem um ponto fixo, se deslocando até o cliente com uma mochila que contém todos os produtos necessários para a limpeza. 

"Vimos que entrou bastante concorrente trabalhando com valores muito baixos e oferecendo nada para o cliente, então pensamos neste modelo. Com uma mochila, o franqueado consegue atender o cliente. Tem um raio de atuação que geralmente é de 1km para fazer o atendimento", diz. 

+ Conheça o empreendedor que superou incêndio e hoje ganha R$ 34 milhões por ano

Os bons resultados da empresa fizeram com que os números não parassem mais de crescer. Atualmente, são 240 unidades da AcquaZero espalhadas pelo Brasil, com previsão de 350 até o final de 2017. Mendes, que já sonhou em ser jogador de basquete, se estabeleceu na área de TI e encontrou a felicidade na limpeza de carros, hoje só quer continuar a ser um empresário inovador e criar cada vez mais alternativas para as pessoas que precisam de um serviço bom para elas e para o meio ambiente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.