O volume de cheques sem fundos emitidos no País registrou em janeiro queda de 15,81% ante dezembro de 2009, a segunda baixa mensal consecutiva. De acordo com dados divulgados hoje pela empresa de informações econômicas Equifax, foram devolvidos 1,67 milhão de cheques em janeiro, ante 1,98 milhão em dezembro.

Na comparação anual, a retração foi ainda maior - de 30,45% em relação a janeiro de 2009. Na relação por dias úteis, os resultados de janeiro foram 7,40% inferiores aos do mês anterior e 26,98% abaixo dos registrados em janeiro de 2009.

A Equifax atribuiu a melhora ao crescimento da renda real das famílias observada nos últimos meses à queda das taxas de juros no comércio e ao aumento dos prazos de financiamento. Os economistas da entidade ressaltam que a injeção de recursos do 13º salário e o aumento real do salário mínimo contribuíram para a redução do número de cheques sem fundos.

"A queda no número de cheques devolvidos ocorreu em todas as regiões do Brasil", informou a entidade. De acordo com os economistas da Equifax, a tendência é de que, nos próximos meses, o volume de cheques devolvidos siga em trajetória de queda. "Apenas um aumento expressivo dos juros e da inflação pode reverter este quadro", ponderou a entidade. "O cenário mais provável, de aumento moderado dos juros e dos preços, não afetará o quadro atual."

O balanço da Equifax registrou ainda o volume de títulos protestados em janeiro, que apresentou alta de 11,38% em relação ao mês anterior e redução de 21,10% ante janeiro de 2009. Foram registrados 775.447 protestos, ante 696.223 em dezembro e 982.825 em janeiro do ano passado. A entidade informou que, desde o começo de 2009, o volume de títulos protestados caminha em trajetória de queda na comparação anual.

A análise da Equifax foi baseada em informações públicas fornecidas por Banco Central (BC), cartórios, juntas comerciais e fóruns e levou em conta as transações comerciais realizadas por 28 mil clientes em todo o País.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.