Duas instituições financeiras ficaram com as 16 notas promissórias, no valor de R$ 25 milhões cada, emitidas pela Embratel S.A.

, conforme aviso publicado nos jornais nesta segunda-feira. Segundo informou a empresa no início de dezembro, os R$ 400 milhões serão usados para o pagamento de bônus de dívida emitido pela companhia em 3 de dezembro de 2003, com garantia de sua controladora, a Embratel Participações S.A., no valor total de principal de US$ 178,750 milhões, acrescidos de juros remuneratórios anuais de 11%, pagos semestralmente, e vencimento final hoje.

Conforme o prospecto da emissão, as notas terão prazo de vencimento de 180 dias e remuneração equivalente a 118,50% do CDI. A Caixa Econômica Federal (CEF) atuou coordenadora líder da emissão. O HSBC também participou da operação. As duas instituições financeiras tinham dado garantia firme de subscrição dos papéis na proporção de 50% para cada um.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.