Tamanho do texto

São Paulo - A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) discute com empresas internacionais a transferência de tecnologia para desenvolver uma espécie de milho transgênico no Brasil. O pesquisador do Centro Nacional de Pesquisa de Milho e Sorgo da Embrapa, Edilson Paiva, afirmou que as negociações estão adiantadas e que a expectativa é de que, até o próximo ano, o produto seja lançado no mercado.

Ele afirma que a transferência de tecnologia foi a fórmula encontrada para dar resposta rápida ao mercado. "Demoraria muito tempo até desenvolvermos uma espécie própria. O ideal é concentrar esforços em outras pesquisas", observa. Entre produtos candidatos para novos estudos, afirma, estão a mandioca e o feijão.

Paiva avalia haver ainda pouca atividade na área de desenvolvimento de transgênicos. "Está demorando muito para que centros concentrem esforços em novos estudos e faltando incentivo para que novas linhas de pesquisa nesta área sejam abertas", diz. O professor, que também é vice-presidente da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), imaginava que a movimentação ganharia ritmo tão logo os primeiros sinais de definição na área de transgênicos fossem dados.

"O setor foi regulado, a turbulência que até há pouco tempo dominava a área começa a se dissipar", observa. Paiva afirma que, caso a agilidade não seja retomada, há risco de o País perder o bonde nesta área. "Ainda dá tempo. Mas é preciso ser rápido." As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.