São Paulo, 05 - Depois do aparecimento do primeiro foco de ferrugem da soja da safra 2008/09 em Senador Canedo (GO), no dia 18 do mês passado, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) confirmou o surgimento de dois novos casos da doença em menos de uma semana. O segundo caso foi confirmado na segunda-feira em Araruna (PR), em plantas voluntárias de soja.

O terceiro e mais recente foi confirmado ontem, em Canarana (MT), em uma unidade de alerta e identificado pela Fundação MT.

O aparecimento dos focos de ferrugem nesta safra teve início na mesma época do que em safras passadas. "Dezembro e janeiro são os meses com o maior número de relatos de ferrugem, devido ao fato da soja entrar no estádio de florescimento, fase mais favorável para infecções, e também porque é maior a freqüência de chuvas, o que facilita o desenvolvimento da doença", explica Cláudia Godoy, coordenadora técnica do Consórcio Antiferrugem e fitopatologista da Embrapa Soja.

Segundo a pesquisadora, a partir do florescimento das plantas, os produtores devem redobrar a atenção no monitoramento das lavouras e ficar atentos para a ocorrência de casos de ferrugem nas regiões próximas aos locais de aparecimento dos focos. "É importante realizar, no mínimo, duas vistorias por semana. Em caso de dúvida, as folhas coletadas devem ser enviadas a laboratórios para análise da presença ou não do fungo nas lavouras", explica a pesquisadora.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.