RIO DE JANEIRO - A Embraer, que vem sendo questionada por seus sindicatos desde que no mês passado anunciou a http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2009/03/19/justica+mantem+as+demissoes+na+embraer+4925918.htmldemissão de aproximadamente 4.300 funcionários, negou neste sábado que tenha distribuído R$ 50 milhões em bônus para seus diretores.

Em comunicado divulgado hoje, a Embraer respondeu às denúncias de dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, que acusa a empresa de alegar motivos financeiros para justificar as demissões, mas paga bônus milionários a seus dirigentes.

A companhia esclareceu que os R$ 50 milhões mencionados pelos sindicalistas se referem ao valor máximo para o pagamento de honorários, benefícios, ajudas, prêmios e participação nos lucros que a Assembleia Geral Ordinária de acionistas limitou para todos os diretores em abril do ano passado, e que podem ser pagos até abril deste ano.

A Embraer disse que o valor efetivamente desembolsado para remunerar os dirigentes ainda não foi calculado, mas acrescentou que será publicamente divulgado junto com os resultados financeiros e contábeis da empresa em 2009.

Além disso, afirmou que esse valor será "obrigatoriamente inferior ao limite aprovado pelos acionistas".

"Em consequência, é absolutamente falsa a informação de que diretores e conselheiros de administração da Embraer tenham recebido R$ 50 milhões em bônus da empresa", afirmou.

Leia mais sobre: Embraer

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.