A Embraer espera entregar 90 aeronaves comerciais e 137 jatos executivos em 2010, informou a fabricante em suas demonstrações financeira. Do total de aviões executivos, 120 unidades devem ser da família Phenom e os outros 17 serão Legacy e Lineage.

A empresa não faz menção sobre os aparelhos do segmento de defesa e governo.

Em 2009, a fabricante entregou 244 aviões, alta de quase 20% sobre as 204 unidades de 2008. A meta inicial era de 242 aeronaves entregues no período. Estes números já haviam sido divulgados ao mercado. Apesar da maior quantidade de vendas, a composição da carteira piorou de um ano para o outro com a entrada de mais jatos executivos, de menor valor, que representaram 115 unidades, alta de 220% sobre 2008. Vale notar que a primeira entrega dos jatos Phenom 100 ocorreu no final de 2008. Os aviões comerciais constituíram 122 entregas, queda de 24,7%, em 12 meses. A Embraer repassou sete aeronaves ao clientes de defesa e governo, um a mais que em 2008.

A carteira de pedidos firmes da Embraer somava, em 31 de dezembro de 2009, US$ 16,6 bilhões. Trata-se de um decréscimo de 20,57% sobre a carteira de US$ 20,9 bilhões de 2008. Com pedidos firmes para 1.752 aeronaves e 1.487 entregas, a carteira de pedidos estava em 265 aviões ao fim de 2009, com outras 722 opções.

Finanças

A Embraer reiterou, em demonstração financeira divulgada esta noite, sua projeção para a receita líquida de 2010, da ordem de US$ 5 bilhões, pelo padrão contábil norte-americano. Com um faturamento menor, a margem operacional esperada para este ano é de 6% (US$ 300 milhões). O Ebitda projetado em 2010 é de US$ 375 milhões, com 7,5% de margem.

A receita de US$ 5 bilhões estimada para 2010 prevê a seguinte composição: US$ 2,6 bilhões para a aviação comercial, US$ 1,1 bilhão para a aviação executiva, US$ 650 milhões para a área de Defesa e US$ 650 milhões referentes a serviços e outros negócios.

Depois de um 2009 difícil para o setor aéreo, a Embraer diz esperar que, ao longo de 2010, haja um crescimento do número de pedidos "de tal forma que o total de encomendas do ano venha a ultrapassar o de 2009", comentou a empresa no comunicado do balanço.

Os investimentos para o ano devem totalizar US$ 300 milhões, sendo que US$ 160 milhões devem ser destinados a Pesquisa e Desenvolvimento e outros US$ 140 milhões às adições ao Imobilizado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.