Tamanho do texto

A Embraer anunciou hoje em Lisboa que vai investir 148 milhões de euros na construção de duas fábricas em Portugal. O anúncio foi uma cerimônia política com a presença do primeiro-ministro português, José Sócrates, e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que procurou dar indicações de que Portugal está saindo da crise por meio de investimentos em tecnologia.

Localizadas em Évora, a 220 quilômetros a oeste de Lisboa, uma das fábricas vai produzir estruturas metálicas e a outra, materiais compósitos, utilizados na construção de aviões. Com produção prevista para começar em 2009, serão criados 570 empregos diretos numa das regiões mais desfavorecidas de Portugal. Na fábrica de estruturas metálicas o investimento será de 100 milhões de euros e na de materiais compósitos, de 48 milhões. O prazo previsto para realizar o investimento é de seis anos.

O objetivo do governo português é a criação de um setor industrial de produção aeronáutica com tecnologia avançada no país. Os materiais das novas fábricas será vendidos para as unidades de produção de aviões da empresa. "Os novos investimentos representam mais um avanço estratégico no processo de crescimento e internacionalização da empresa", afirmou Frederico Fleury Curado, presidente da Embraer. No entanto, ele deu uma resposta à pergunta sobre se a Embraer vai ou não ter uma linha de montagem de aviões em Portugal.

É a segunda vez que a Embraer investe no pais. Em 2004, a Embraer criou com a EADS - acionista da Airbus - uma empresa que adquiriu 65% das ações das Oficinas Gerais de Material Aeronáutico, empresa estatal ligada à força aérea que se dedica à reparação de aviões que estava sendo privatizada. Na empresa que controla as OGMA, a Embraer tem 99% das ações e o controle da empresa.