SÃO PAULO - A quinta-feira foi mais um dia de fortes perdas nas bolsas internacionais. Apesar dos esforços dos governos e dos bancos centrais no mundo, os agentes continuam preocupados com a deterioração no ambiente financeiro.

Ainda há a expectativa de balanços corporativos ruins.

No fim dos negócios em Wall Street, o Dow Jones, que vinha apresentando uma perda moderada ao longo do dia, cedeu 7,33%, aos 8.579,19 pontos. O Standard & Poor´s 500 despencou 7,62%, para 909,92 pontos, e o Nasdaq Composite recuou 5,47%, somando 1.645,12 pontos.

Entre as notícias que justificaram a forte queda no encerramento das operações esteve o anúncio da agência de classificação de risco Standard & Poor´s de que poderá rebaixar o rating da GM e da Ford, diante do "rápido enfraquecimento da maior parte do mercado global de automóveis, em conjunto com as condições desafiadoras dos mercados de capitais".

Na Europa, as quedas foram mais modestas. A inquietação com a perda de dinamismo da atividade econômica pontuou a jornada. O FTSE-100, de Londres, caiu 1,21%, aos 4.313,80 pontos. Em Paris, o CAC-40 declinou 1,55%, ficando em 3.442,70 pontos. Na praça de Frankfurt, o indicador DAX baixou 2,53%, aos 4.887 pontos.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.