Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Em discurso, Meirelles defende meta de inflação mesmo com crise

SÃO PAULO - Em discurso durante um congresso europeu de bancos, em Frankfurt, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, reforçou que a meta de inflação ainda é o regime monetário mais apropriado para coordenar expectativas em mercados emergentes, sobretudo em um ambiente de crise, onde as incertezas são crescentes. Não devemos esquecer a necessidade de estabilidade de preços para haver uma base para restabelecer o crescimento, disse. Assim como vem repetindo em outros discursos, Meirelles reforçou que cada país deve atuar de acordo com suas necessidades e recursos para enfrentar os efeitos da crise.

Valor Online |

"Um aspecto importante é estabelecer a diferença entre política de liquidez, politica monetária e política fiscal", lembrou.

Em seu pronunciamento, Meirelles buscou resumir as propostas em discussão sobre prevenção, fiscalização e regulação futura, a fim de evitar futuras crises. O executivo também defendeu maior participação de economias emergentes, representadas pelo G20, em decisões globais, devido ao papel relevante dos emergentes no momento atual que podem, inclusive, representar uma solução para a crise.

Na avaliação de Meirelles, o Fundo Monetário Internacional (FMI) precisa apoiar as economias que não têm condições de se financiar e que foram afetadas pela crise, embora tivessem vigilância adequada do sistema financeiro local.

Ainda sobre o FMI, Meirelles afirmou que as discussões atuais giram em torno do papel da instituição e sua legitimidade. Segundo ele, é importante que a instituição se transforme em peça chave de fiscalização. Isso seria importante não só em termos de previsão de crise, mas de avaliação de políticas de cada país para detectar possíveis desvios.

"Um dos pontos que, em minha opinião pessoal, complicaram os esforços para tratar essa crise financeira é que o FMI esteve durante décadas focado em evitar crises em mercados emergentes", disse Meirelles, lembrando que agora o cenário é diferente.

(Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG