Tamanho do texto

SÃO PAULO - Após terem despencado mais de US$ 20 em menos de 10 sessões, os preços do petróleo fecharam hoje com alta de cerca de US$ 1 por barril em Londres e Nova York. Além de uma correção técnica após a derrubada dos últimos dias, os analistas citaram um ligeiro enfraquecimento do dólar e tensões na Nigéria para explicar a elevação de hoje.

Em Nova York, o barril tipo WTI para entrega em setembro fechou a US$ 125,49, com alta de US$ 1,05. O contrato de outubro marcou US$ 125,97, com avanço de US$ 0,93. Em Londres, o Brent para setembro encerrou o pregão cotado a US$ 126,44, ganho de US$ 1,15. O vencimento de outubro situou-se em US$ 127,52, após ter cedido US$ 1,14.

Apenas na terça e na quarta-feira, o petróleo acumulou queda de US$ 7, o que justificaria um movimento de correção, segundo os analistas que acompanham o setor.

Além disso, o Movimento de Emancipação do Delta do Níger, um grupo rebelde da Nigéria, ameaçou destruir os maiores oleodutos daquele país em um prazo de 30 dias. A Nigéria é um dos maiores produtores de petróleo do mundo.

(Valor Online, com agências internacionais)