Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Em crise nos EUA, Ford e GM voltam a ter lucro no Brasil

SÃO PAULO - Uma vez mais, os resultados financeiros na América do Sul ajudaram a Ford e a General Motors (GM) a compensar os grandes prejuízos nos seus balanços globais do terceiro trimestre. Na América do Sul, a Ford lucrou US$ 480 milhões antes de impostos, quase US$ 100 milhões a mais do que no mesmo período do ano passado.

Valor Online |

Já a GM, obteve na região que engloba América do Sul, África e Oriente Médio US$ 514 milhões de lucratividade, US$ 140 milhões mais do que no terceiro trimestre de 2007.

As duas montadoras americanas divulgaram balanços na sexta-feira. A Ford anunciou um prejuízo global de US$ 129 milhões e revelou que será obrigada a reduzir os custos trabalhistas. A GM teve prejuízo de US$ 2,5 bilhões e anunciou que sua liquidez teve queda de US$ 6,9 bilhões diante da rápida " piora das condições do mercado nos EUA " .

Ao divulgar o balanço, o presidente mundial da General Motors, Rick Wagoner, disse que tomará " todas as medidas possíveis " para evitar a falência a companhia. As negociações para a aquisição da Chrysler já parecem fora de cogitação por falta de liquidez.

No Brasil, assim como as montadoras com matrizes na Europa, onde a crise também bateu forte, talvez esse tenha sido o último trimestre que as filiais das americanas ajudaram a compensar uma parte das perdas no balanço geral. Na semana passada, a Ford anunciou antecipação de férias coletivas nas três fábricas no Brasil. A GM também decidiu dar férias entre outubro e novembro nas quatro fábricas brasileiras. Além disso, o mercado interno, que sustenta a produção da indústria automobilística no país, já deu sinais de desaquecimento há mais de um mês.

Na América do Sul, onde a operação brasileira tem o maior peso, a receita da Ford aumentou de US$ 2,1 bilhões para US$ 2,7 bilhões. " Os resultados do terceiro trimestre foram positivos, refletindo nosso crescimento de vendas, atrelados a um mix de produto favorável " , disse o presidente da Ford no Brasil, Marcos de Oliveira, por meio de nota à imprensa.

Mas o executivo também alertou para a mudança dos rumos: " Entretanto, estamos vivendo um momento de mudança de cenários. A volatilidade da economia mundial afeta o ritmo de crescimento da indústria automobilística. Acredito que os sólidos fundamentos da economia brasileira e a estratégia de negócios da Ford, que tem priorizado a oferta de produtos desejados pelo consumidor, serão decisivos para a retomada do processo de crescimento sustentado " .

Na América do Norte, a Ford registrou US$ 2,6 bilhões de prejuízo, US$ 1,6 milhão a mais que há um ano. A receita caiu de US$ 16,7 bilhões para US$ 10,8 bilhões. Na mesma região, a GM teve perda de US$ 2,3 bilhões. A Ford anunciou que continua no caminho para atingir US$ 5 bilhões em reduções de custos na América do Norte até o final de 2008 em comparação com 2005. No pacote de medidas está a redução de 10% nos custos com o pessoal assalariado. A Volvo, uma das marcas do grupo, eliminará 6 mil postos de trabalho.

" Continuamos a tomar providências rápidas e decisivas na implantação do nosso plano e respondendo rapidamente ao ambiente de negócios em mudança " , afirmou o presidente mundial da Ford, Alan Mulally. Wagoner, da GM, anunciou que a companhia tomará novas medidas para " melhorar a liquidez e reduzir os custos estruturais, em resposta à piora das condições econômicas mundiais " . As medidas poderão melhorar a liquidez em US$ 5 bilhões.

(Marli Olmos | Valor Econômico, com agências internacionais)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG