Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Elo será nova bandeira de cartões de Bradesco e Banco do Brasil

SÃO PAULO - A União entre o Bradesco e o Banco do Brasil no segmento de cartões deverá gerar sinergias financeiras de R$ 1 bilhão em cinco anos. A projeção foi feita hoje pelos executivos dos dois bancos durante o evento de lançamento da nova bandeira de cartões, chamada Elo. A nova bandeira deve conquistar 15% do mercado nacional em cinco anos, projetam os dois bancos. Caso o acordo seja autorizado pelas entidades reguladoras, os bancos afirmam que a bandeira irá gerar um volume de negócios da ordem de R$ 15 bilhões. A participação de cada banco na nova holding, criada para gerir os negócios conjuntos em cartões dos dois bancos, ficará em 50,01% para o Bradesco e 49,99% para o Banco do Brasil. Os bancos destacaram ainda o foco na classe C."O cartão nasce mais econômico, com menor custo, voltado para a população que compra com cartão", afirmou o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi.

Valor Online |

SÃO PAULO - A União entre o Bradesco e o Banco do Brasil no segmento de cartões deverá gerar sinergias financeiras de R$ 1 bilhão em cinco anos. A projeção foi feita hoje pelos executivos dos dois bancos durante o evento de lançamento da nova bandeira de cartões, chamada Elo. A nova bandeira deve conquistar 15% do mercado nacional em cinco anos, projetam os dois bancos. Caso o acordo seja autorizado pelas entidades reguladoras, os bancos afirmam que a bandeira irá gerar um volume de negócios da ordem de R$ 15 bilhões. A participação de cada banco na nova holding, criada para gerir os negócios conjuntos em cartões dos dois bancos, ficará em 50,01% para o Bradesco e 49,99% para o Banco do Brasil. Os bancos destacaram ainda o foco na classe C."O cartão nasce mais econômico, com menor custo, voltado para a população que compra com cartão", afirmou o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi."Temos muita capilaridade, adequada para atingir a classe C", acrescentou. Segundo o vice-presidente de Negócios do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, a bandeira poderá extrapolar as fronteiras nacionais."Já há viabilidade técnica para isso", completou Trabuco. (Vanessa Dezem | Valor)
Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG