O Consórcio Integração Norte Brasil, liderado pela Eletronorte, arrematou dois lotes no leilão de linhas de transmissão de energia que estará disponível daqui a três anos para o complexo do Rio Madeira, em Rondônia. O consórcio levou o lote A, que corresponde a 17,3 quilômetros de extensão e mais uma subestação de energia, com deságio de 0,001%, equivalente a R$ 44,751 milhões para a receita anual permitida.

O consórcio, formado ainda pela Eletrosul (24,5%), Abengoa (25,5%) e Andrade Gutierrez (25,5%) também levou o lote C com deságio de 10% e receita equivalente a R$ 144,75 milhões.O lote C equivale à construção de duas estações de energia. Nos dois lotes o consórcio foi o único a apresentar proposta.

Já a brasileira Cymi Holding levou sozinha o lote B do leilão com deságio de 15%, equivalente a uma renda anual de R$ 35,4 milhões. O lote B corresponde a 502 quilômetros de extensão de linhas de transmissão que ligam Cuiabá (MT) a Rio Verde (GO). O diretor da Cymi Holding, Daniel Bilat, afirmou que vê "dificuldade nos investimentos em razão da crise financeira internacional, mas começaremos a agir amanhã mesmo". Ainda segundo ele, a principal fonte de financiamento será o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O consórcio Rio Madeira arrematou o Lote D, correspondente à linha mais extensa entre as ofertadas, de 2.335 quilômetros, e que liga Porto Velho (RO) a Araraquara (SP). O consórcio, formado por CTEEP (51%), Furnas (24,5%) e Chesf (24,5%) ofereceu um deságio de 0,31%, o equivalente a uma receita anual de R$ 176,249 milhões. O consórcio teve de disputar em viva-voz a construção com a espanhola Isolux, pois ambas as propostas tinham uma diferença inferior a 5%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.