Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Eletrobrás fará novo pedido ao BNDES para usina do PAC

O presidente da Eletrobrás, José Antonio Muniz Lopes, disse hoje que até o início do mês que vem a companhia deve reapresentar ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) novo pedido de financiamento para as obras de construção da Usina Hidrelétrica de Serra do Facão, incluída no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC). O banco de fomento havia inicialmente aprovado o financiamento para o consórcio original que venceu a licitação para a obra, mas voltou atrás em uma decisão, segundo fontes, por conta da presença da Gallway Projetos em energia, empresa controlada por companhia com sede na Holanda.

Agência Estado |

O empreendimento tem investimento avaliado em torno de R$ 770 milhões, dos quais o BNDES financiaria R$ 540 milhões.

De fora do consórcio inicial, a companhia adquiriu a fatia da Oliveira Trustee no consórcio, que ainda conta com a Alcoa, Camargo Correa, DME Energética e Furnas. Indagado sobre o tema, o presidente da Eletrobrás, disse que não sabe detalhes da transação porque não estava atuando no cargo à época. Além disso, lembrou, foi uma transação entre duas empresas privadas, que não envolveu a controlada da Eletrobrás.

Segundo ele, agora que Furnas comprou a participação de 50,1% do negócio da Gallway, "volta a fazer sentido tentar o financiamento do BNDES". "Nós pagamos por esta parcela apenas o valor patrimonial, que eu não me lembro quanto foi", disse em entrevista na saída do Congresso Brasileiro de Energia. Ainda segundo ele, esse desfecho da negociação "foi um alívio", já que a Gallway estava sendo um "estorvo" na tramitação burocrática da obra.

"Ela estava inadimplente, mesmo porque nós nem queríamos mais receber nenhum tostão dela para não ter mais complicações", disse. Ainda segundo Muniz Lopes, o pagamento pela participação do consórcio foi referente apenas ao que a Gallway havia colocado no negócio.

Ainda segundo o presidente da Eletrobrás, a obra, localizada no Rio São Marcos, na divisa de Goiás com Minas Gerais, está em dia com seu cronograma porque as consorciadas estão colocando dinheiro próprio no negócio. Incluída entre as 10 usinas hidrelétricas da lista do PAC para o Centro-Oeste, a usina Serra do Facão tem potência de 210 megawatts (MW), segundo informações de Furnas.

Projetos

A crise econômica que está derrubando o mercado financeiro e dificultando o acesso ao crédito ainda não bateu na porta da Eletrobrás, afirmou o presidente da companhia. Segundo ele, o orçamento da empresa para 2009, na casa dos R$ 5 bilhões, está mantido.

No início de janeiro, a companhia deve apresentar seu plano decenal com os novos investimentos. Nesta nova leva deverão constar, de acordo com Muniz Lopes, o plano de integração energética com a Venezuela, que prevê a construção de uma linha de transmissão de 700 quilômetros, ligando Boa Vista a Manaus, paralela à BR 174. Outro projeto que deverá constar no plano decenal é a construção de seis usinas no Peru. "A linha de transmissão ligando o Brasil a estas usinas deve ser licitadas nos próximos anos", comentou.

Ele ainda sinalizou que a companhia está prestes a captar US$ 500 milhões para a reestruturação das distribuidoras federalizadas que estão sob o seu guarda-chuva. "O Banco Mundial já sinalizou positivamente para liberar este apoio e agora estamos pleiteando o financiamento", disse.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG