RIO - O presidente da Eletrobrás, José Antônio Muniz Lopes, afirmou que a estatal deve entregar ao Ibama até o fim do mês o Estudo de Impacto Ambiental (EIA-Rima) para a usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, prevista para ir a leilão no ano que vem e que terá capacidade de geração de 11.182 megawatts.

O executivo estima que o custo para construção da usina será de cerca de US$ 10 bilhões.

De acordo com ele, o custo orçado em 2002 estava estimado em R$ 8 bilhões. "Mas estimo que hoje esteja em torno de R$ 10 bilhões", disse Muniz Lopes, que participou hoje do Encontro Nacional dos Agentes do Setor Elétrico (Enase 2008), no Rio de Janeiro.

O presidente da estatal confirmou que houve mudanças em relação ao projeto original. Segundo ele, o reservatório terá 440 quilômetros quadrados, contra projeto anterior de 1,2 mil quilômetros quadrados.

"Vamos agora pensar junto ao acionista como é que ela (Eletrobrás) participará no leilão no ano que vem", frisou, acrescentando que, em princípio, as subsidiárias da estatal não vão concorrer entre si.

"Como é uma usina considerada pelo CNPE (Conselho Nacional de Política Energética) estratégica e estruturante, terá que ter avaliação especial. Sozinha é maior do que Furnas, Chesf, Eletronorte. Então, exige um tratamento especial que, com certeza, o governo dará", ponderou.

Muniz Lopes informou ainda que a estatal já finalizou o inventário do Rio Tapajós, no Pará, cuja capacidade estimada pelo mercado é de cerca de 30 mil megawatts. A expectativa do executivo é de entregar este estudo ao ministério nos próximos dias.

(Rafael Rosas | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.