Bolsa para negociar ações de políticos - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Eleitor terá Bolsa para negociar ações de políticos

Quem acha que os políticos brasileiros estão em baixa no mercado vai poder colocar à prova essa teoria em uma bolsa de valores criada especialmente para negociar cotas da imagem pública dos possíveis candidatos nas eleições deste ano. A Bolsa de Valores Políticos (Bovap), iniciativa da corretora de valores Souza Barros, estreou ontem na internet e já reúne 1,1 mil investidores.

Agência Estado |

Para participar da "brincadeira" basta se cadastrar no endereço www.bovap.com.br. De início, os participantes recebem crédito de 50 mil Unidades de Valor Político (UVPs), moeda fictícia, para montar sua carteira de políticos.

O simulador usa a lógica do mercado financeiro e conta com todos os mecanismos de um ambiente de operação de verdade: reserva de papéis nas vésperas da oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), prospecto e análise de ativos e ferramenta para negociação online, o home broker. Há até um índice, o Ibovap, termômetro das negociações na bolsa, que iniciou em 100 pontos. Por volta das 17h30 desta quarta-feira, o índice estava em 1.763,74 pontos, com valorização de 83,80% no dia, - o que mostra que, ao menos na Bovap, a cotação dos políticos está em alta.

Enquanto os partidos ainda definem seus candidatos para as eleições de outubro, a corretora lança ações dos nomes cotados para a disputa. Já estão em negociação papéis de oito possíveis candidatos ao governo de São Paulo, entre eles os ex-governadores Geraldo Alckmin (PSDB) e Paulo Maluf (PP) e a ex-prefeita Marta Suplicy (PT). Até sexta-feira será feito o IPO dos presidenciáveis, entre eles o governador José Serra (PSDB) e a ministra Dilma Rousseff (PT). Serão listados na bolsa ainda, nos próximos 15 dias, os candidatos ao governo de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia e Rio Grande do Sul.

Assim como as empresas listadas na bolsa de valores, cada político terá um preço inicial, medido em UVP e baseado em um levantamento feito com 20 pessoas nas ruas. Elas avaliam a ética, o histórico e as realizações do candidato com notas de 1 a 10. A nota média é o valor inicial da ação. Cada candidato a governador começa na bolsa vinculado a 100 mil ações e cada pleiteante a presidente, a 300 mil.

Os preços de oferta mais altos até agora - as blue chips da Bovap - foram de Marta Suplicy (UVP 19,95), Geraldo Alckmin (19,85) e Soninha Francine, do PPS (19,21). Os mais baixos foram de Paulinho da Força, do PDT (12,63), Paulo Skaf, do PSB (13,54) e Paulo Maluf (13,60). Celso Russomano, do PP, teve um preço inicial de UVP 16, e Ivan Valente, do PSOL, saiu com UVP 14,11.

No site da Bovap o investidor tem acesso ainda a um prospecto dos políticos, com dados pessoais, informações políticas, curiosidades e os fatores de risco de aplicar em cada candidato, como envolvimento em escândalos de corrupção. A página abriga ainda relatórios de análise - fundamentalistas e grafistas - do quadro político, do desempenho do Ibovap e de cada ativo da bolsa.

A Bovap vai cumprir também uma função de xerife do 'mercado de políticos', cobrando explicações dos candidatos sobre qualquer movimento brusco das ações a que estão vinculados, como supervalorizações e suspeitas de "inside information" (informação privilegiada).

O presidente da corretora, Carlos Souza Barros, acredita que a iniciativa, além de estimular a entrada de investidores pessoa física no mercado financeiro, contribui para o debate político neste ano eleitoral. "Ou o eleitor brasileiro discute política tão apaixonadamente quanto futebol ou trata o assunto como um tabu", disse Souza Barros à Agência Estado. "A Bovap ajuda as pessoas a perderem o medo de investir em ações e leva a uma conscientização política, pois, antes de investir ou escolher um representante, é preciso pesquisar e pensar bem."

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG