Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Egito registra 23ª morte pelo vírus H5N1 da gripe aviária

Cairo, 16 - Uma adolescente egípcia de 16 anos morreu hoje após ser contaminada pelo vírus H5N1, o mais letal entre os que causam a gripe aviária, informa a agência de notícias local MENA. O caso elevou para 23 o número de pessoas que morreram no país após terem contraído o vírus.

Agência Estado |

Na Índia, o governo confirmou outro caso de gripe aviária e deve iniciar um novo abate de aves para controlar a doença.

A egípcia Samiha Abdul Hafez Ahmed Salem vivia em um vilarejo próximo à cidade de Assiut, região central do país, e estava internada há uma semana no hospital local, informou Abdulrahman Shahin, porta-voz do Ministério da Saúde do Egito. Foi a primeira morte causada por gripe aviária no país desde abril. No total, o Egito registrou 51 casos de contaminação de humanos desde fevereiro de 2006, quando foi registrada a primeira infecção. Quase todas as vítimas eram mulheres, que geralmente são quem cuidam das pequenas granjas no interior do país.

Desde 2003, quando surgiu na Ásia, o vírus H5N1 causou perto de 250 mortes, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Na Índia, o governo confirmou um novo foco de gripe aviária depois que milhares de aves foram encontradas mortas no Estado de West Bengal. Testes confirmaram a doença, de acordo com o chefe do departamento de desenvolvimento de pesquisas sobre animais, Dilip Chakraborty. O abate das aves dos arredores será iniciado amanhã. O vírus se espalhou para 14 dos 19 distritos do Estado, que tem uma população de mais de 80 milhões de pessoas. Porém, nenhum caso de contaminação humana foi registrado. Em outro Estado, Assam, autoridades já abateram 250 mil frangos nas últimas duas semanas para controlar a disseminação da gripe. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG