BRASÍLIA - O pacote de incentivo às exportações é para garantir competitividade aos produtos brasileiros no médio e longo prazos, e, dificilmente, irá corrigir dificuldades imediatas. Foi o que afirmou hoje o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

"Será um ano muito duro para nossas exportações, porque ainda há falta de demanda no mercado internacional", disse o ministro. "As medidas em estudo devem dar mais competitividade às exportações brasileiras mais para o médio e longo prazos", continuou.

Ele disse ainda que, em função do pouco dinamismo da economia mundial, "há economias com ações desesperadas no comércio internacional para vender, mas não há milagres neste momento".

Mantega explicou que, por isso, os maiores efeitos das medidas de incentivo (tributário, de crédito e desburocratizantes) só virão quando o mercado internacional se recuperar inteiramente, no futuro.

(Azelma Rodrigues | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.