Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Economista do BM aconselha América Latina a se integrar mais

Bogotá, 14 nov (EFE) - O economista principal do Banco Mundial (BM), o americano William Maloney, convidou hoje os países latino-americanos a saírem de si mesmos e a se integrarem mais.

EFE |

"Na região, continuamos muito encistados", afirmou Maloney, para quem no mundo "há tecnologias que podem ser criadas, há mercados que podem ser explorados".

Em entrevista à Agência Efe em Bogotá, o analista considerou que a América Latina deve se colocar "passo a passo" para aproveitar as oportunidades, em um contexto de abertura econômica e tratados de livre-comércio cujo "efeito líquido sobre o emprego não é muito óbvio".

No entanto, criticou que em muitas nações da região nem os empresários nem os sindicalistas pensem em como vão competir de forma séria com outras economias, como as asiáticas.

"É que aqui estamos dividindo as rendas que há na velha forma de fazer as coisas, mas não estamos pensando em como vamos tirar o suco das rendas que vêm da inovação", expressou Maloney.

A América Latina deve olhar isto com cautela e aprender a lição de economias que adotaram novas tecnologias e aumentaram sua produtividade, prosseguiu o analista, que participa em Bogotá de um seminário sobre políticas de emprego convocado pelo Departamento Nacional de Planejamento e o Ministério da Fazenda, além do BM.

O analista observou que os países devem se perguntar como adaptam novas tecnologias, como progridem tecnologicamente e qual é o papel da legislação trabalhista neste âmbito.

O problema do emprego na América Latina "é bastante complexo e largo", reconheceu o analista do BM, mas observou que a inovação, com a adoção de novas tecnologias, é a dimensão mais importante no momento de olhar o setor.

A competição é um dos impactos da abertura ou da liberdade comercial, assim como o maior acesso a bens intermediários, a novos mercados, disse Maloney, mas admitiu que os ajustes que devem fazer as empresas têm efeitos. EFE jgh/db

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG