O economista inglês sir Nicholas Stern, autor de um importante relatório homônimo sobre a economia das mudanças climáticas, de 2006, disse ontem em São Paulo que a atual crise econômica mundial pode alterar a forma como os países vão lidar com o problema ambiental. Ele, porém, não acredita que o tema será deixado de lado.

Esperava que só uma fração do que deve ser investido no desenvolvimento de novas tecnologias viesse do setor público. Mas, agora, a finança da inovação terá de vir desse setor, mais do que imaginávamos, disse durante palestra na Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Stern também afirmou que a liderança européia na questão será mantida, a despeito da oposição de alguns países. A União Européia tem sido a voz mais consistente dentro do debate internacional sobre ações contra o aquecimento global. Porém, com a crise, alguns integrantes do bloco - especialmente os ex-comunistas e a Itália - reclamam que não terão recursos para enfrentar a recessão e, ao mesmo tempo, cortar suas emissões de gases do efeito estufa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.