Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Economia pesou e impediu reação do mercado acionário nos EUA

SÃO PAULO - Wall Street encerrou a pior semana em mais de sete anos com outra baixa na sexta-feira, em meio a temores de que o pacote de US$ 700 bilhões pode não destravar os mercados de créditos e evitar uma recessão. O índice Dow Jones teve baixa de 1,50%, a 10.325 pontos.

Valor Online |

O Standard & Poor´s 500 caiu 1,35%, a 1.099 pontos. O Nasdaq recuou 1,48%, a 1.947 pontos.

Após muitas disputas legislativas que perturbaram os mercados globais nas duas últimas semanas, a Câmara dos Deputados aprovou o pacote de socorro financeiro em sua segunda tentativa, e o presidente George Bush assinou a lei.

As ações financeiras, que operaram em alta na expectativa de aprovação da lei, caíram após a votação da Câmara. Operadores citaram realização de lucros. E afirmaram que o mercado está se focando agora no futuro da economia e em como o plano será implementado.

O índice financeiro do S & P 500 caiu 3,9%, enquanto os três principais índices cederam mais de 1%.

A divulgação de um relatório mensal de emprego durante a sessão sugeriu que a economia pode estar em recessão. Empregadores norte-americanos cortaram 159 mil empregos em setembro, a nona queda mensal consecutiva e maior baixa em cinco anos em meio.

" Existe uma tremenda quantidade de ansiedade lá fora e isto está gerando volatilidade. As pessoas estão preocupadas de que o pacote não destrave os mercados de crédito, então as pessoas estão tendo uma visão dura das coisas " , disse Anthony Conroy, operador líder da BNY Convergex, afiliada do Bank of New York.

" Os dados econômicos nos últimos dias têm sido ruins e a perspectiva de resultados está bastante desanimadora. Nós superamos um grande obstáculo com o plano de resgate, mas ainda tem mais por vir. "
Colaborou para a melhora de humor dos investidores os rumores de que o banco central da Inglaterra pode vir a reduzir o juro básico do país.

O FTSE-100, de Londres, fechou aos 4.980 pontos, com valorização de 2,26%. Em Frankfurt, o DAX ganhou 2,41%, para 5.797 pontos. O CAC-40, de Paris, encerrou com 2,96% de alta, aos 4.080 pontos. Também em Wall Street as bolsas apontavam alta de mais de 2% nesta tarde. O índice de blue chips do continente, o Eurofirst 300, fechou em alta de 3,01%.

As ações da financeira HBOS subiram 17,87%, as do Lloyds ganharam 10,78% e as do Barclays avançaram 11,10%, em Londres. No mercado alemão, as ações do Deutsche Postbank fecharam com valorização de 8,81%.

No setor produtivo a valorização mais significativa veio dos papéis da Regal Petroleum, que subiram 50,60% na bolsa londrina, após notícia de que a companhia teria recebido uma oferta compra de US$ 1,2 bilhão da Royal Dutch Shell.

(Valor Econômico, com agências internacionais)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG