Madri, 31 out (EFE).- A economia espanhola retrocedeu 0,2% no terceiro trimestre deste ano com relação ao trimestre anterior, a primeira queda registrada nos últimos 15 anos, informou hoje o Banco da Espanha (autoridade monetária).

O retrocesso é devido ao enfraquecimento da demanda interna e à intensificação da crise financeira, afirma o organismo em seu boletim de outubro.

O crescimento anualizado do Produto Interno Bruto (PIB) foi de apenas 0,9%, a metade que o registrado no segundo trimestre.

A forte moderação da demanda interna, consumo e investimento, que só cresceu três décimos (frente ao 1,5 ponto do segundo trimestre), explicam este enfraquecimento da economia, mas também foi chave a instabilidade nos mercados financeiros.

O Banco da Espanha afirma que a piora das condições de financiamento e da confiança contribuiu para "frear o avanço da atividade", e os episódios "mais agudos" da crise das últimas semanas "poderiam ter inibido o crescimento econômico adicionalmente".

O organismo adverte que tanto o consumo privado quanto o investimento caíram neste terceiro trimestre, mas não especifica quanto.

Por trás do enfraquecimento do consumo das famílias, diz, estão a perda de confiança, a deterioração do emprego e a menor renda disponível, diante da alta inflação.

O arrefecimento entre julho e setembro representa o primeiro registro trimestral negativo da economia espanhola desde o segundo trimestre de 1993, quando o PIB caiu 0,3%. EFE pamp/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.