A economia norte-americana continuou lenta e os consumidores passaram a se concentrar nos gastos essenciais no fim de julho e em agosto, mas as exportações continuam a dar alguma sustentação à atividade econômica. É o que diz o Livro Bege, sumário sobre as condições da economia dos EUA que servirá de base para as decisões de política monetária a serem tomadas na próxima reunião do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), no dia 16.

O Livro Bege foi divulgado pelo Fed na tarde desta quarta-feira.

Segundo o relatório, as empresas têm relatado que elevaram os preços no varejo, em reação à elevação dos custos dos insumos. Alguns distritos notaram que as quedas recentes dos preços do petróleo e de outras matérias-primas (commodities), além da contenção nos salários, devem impedir que a inflação continue a se acelerar.

"Informes dos 12 distritos do Fed indicam que o ritmo da atividade econômica foi lento na maioria dos distritos", diz o Livro Bege, que foi preparado pela regional do Fed de Filadélfia com base em dados coletados até 25 de agosto. De acordo com o relatório, os gastos dos consumidores "foram descritos como lentos na maioria dos distritos, com as compras concentradas em itens necessários e uma retranca nos gastos discricionários". As vendas de veículos "foram fracas ou caíram em todos os distritos, especialmente as de veículos maiores, menos eficientes do ponto de vista do consumo de combustíveis, utilitários desportivos e caminhões".

O Livro Bege também diz que o setor de imóveis residenciais continuou fraco e que o de imóveis comerciais se desacelerou. Em contraste "vários distritos relataram que as encomendas para exportação estavam estimulando a atividade industrial".

A íntegra do Livro Bege em inglês está disponível na página do Fed .

Leia mais sobre livro bege

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.