O segundo banco da Alemanha, Commerzbank, indicou nesta segunda-feira que a maior economia europeia pode se contrair até 7% este ano; já o banco central do país advertiu que a crise está afetando a economia muito mais que o previsto.

O economista chefe do Commerzbank, Joerg Kraemer, anunciou nesta segunda-feira "uma revisão em baixa de nossa perspectiva econômica" devido ao recente colapso dos pedidos industriais.

"O Commerzbank alterou sua estimativa de uma contração do PIB de 3%-4% para 6%-7% depois que os pedidos em janeiro e os dados de produção despencaram a um ritmo dramático inédito na história da Alemanha após a Segunda Guerra Mundial", indicou Kraemer.

O Bundesbank (banco central) indicou em seu relatório mensal que a forte desaceleração da economia mundial está afetando a produção econômica da Alemanha mais e mais.

O ministro das Finanças, Peer Steinbrueck, advertiu semana passada que o governo poderia revisar em baixa no fim de abril suas previsões para 2009, que antecipam atualmente uma contração de 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB).

"Não posso dizer até quando cairão", disse Steinbrueck ao jornal Sueddeutsche Zeitung.

Os pedidos industriais na maior economia alemã caíram 8% em janeiro em relação ao mês anterior, segundo uma estimativa do Ministério da Economia, enquanto produção industrial caiu 7,5% em janeiro, em relação a dezembro.

O relatório do banco central indicou que a Alemanha tem sido obrigada a "reduzir drasticamente sua produção" devido à forte queda dos pedidos nacionais e estrangeiros, e que esta tendência vem se acentuando desde o início de 2009.

ilp-/lm/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.