As autoridades de Dubai anunciaram nesta segunda-feira que pagarão a dívida de 4,1 bilhões de dólares da gigante imobiliária Nakheel depois da obtenção de uma ajuda de US$ 10 bilhões do governo de Abu Dabi, o rico emirado petroleiro vizinho.

Este anúncio acontece no mesmo dia do vencimento das obrigações islâmicas do Najeel, filial do conglomerado público Dubai World.

Na abertura, a Bolsa de Dubai reagiu com euforia e registrava alta de 10,10% após o anúncio e, no fechamento, acabou ganhando 10,37%, um recorde histórico para este mercado. Por seu lado, Abu Dhabi subiu 7,93%.

Abu Dhabi é a capital e membro mais rico dos Emirados Árabes Unidos, uma federação da qual faz parte Dubai, afetada pela crise financeira depois de ter conhecido um fenomenal desenvolvimento que fez com que se transformasse de porto modesto em uma cidade futurista em poucas décadas.

"O governo de Abu Dabi aceitou financiar com o valor de 10 bilhões de dólares o fundo de ajuda financeira de Dubai, quantia que será utilizada para cobrir uma série de obrigações do Dubai World", afirma um comunicado oficial, em referência ao conglomerado público que passa por dificuldades econômicas.

"Por consequência, o governo de Dubai autorizou a utilização de 4,1 bilhões de dólares para pagar as obrigações islâmicas (sukuk) que vencem hoje" (segunda-feira), completa a nota.

O texto não precisa se se trata de um empréstimo ou uma doação e foi publicado pelo xeque Ahmed ben Said Al-Maktum, presidente da companhia Emirates Airlines e titular do comitê fiscal supremo criado pelo emirado em julho passado para administrar o impacto da crise financeira mundial.

A Dubai World anunciou em 30 de novembro que pensava em reestruturar algumas de suas 10 empresas e renegociar com os credores a dívida de 26 bilhões de dólares, incluindo a que a Nakheel vai pagar nesta segunda-feira.

Os 5,9 bilhões de dólares restantes da ajuda de Abu Dhabi pagarão os juros e operações de funcionamento do Dubai World até 30 de abril de 2010, desde que o grupo tenha êxito nas negociações de uma moratória da dívida.

Em 25 de novembro, as autoridades de Dubai anunciaram que pediriam uma moratória de pelo menos seis meses sobre a dívida da Dubai World, o que provocou pânico nos mercados financeiros ao redor do mundo, que temem a solvência do conglomerado, com dívida total de 59 bilhões de dólares.

Cinco dias mais tarde, a Dubai World anunciou a intenção de reestruturar algumas das dez companhias que o integram e renegociar com os credores uma dívida de 26 bilhões de dólares, incluindo a da Najeel.

Em seu comunicado, as autoridades de Dubai tentaram tranquilizar os credores afirmando que a cidade continua sendo um centro financeiro forte.

"Este anúncio põe fim à incerteza que cercava as obrigações imediatas da Najeel, mas não resolve os problemas da dívida de Dubai", comentou o analista Fahd Iqbal, do banco regional de investimentos EFP-Hermès.

at-tm/fp/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.