SÃO PAULO - As bolsas de Nova York encerraram o último pregão da semana sem tendência única e com ligeiras variações de alta e de baixa. Os agentes continuaram levando em conta nesta jornada o suspense em torno do destino do Lehman Brothers, mas também a baixa significativa das vendas no varejo americano no mês de agosto.

Enquanto o Dow Jones fechou com queda de 0,10%, aos 11.421 pontos, o Standard & Poor´s 500 avançou 0,21%, para 1.251 pontos. O eletrônico Nasdaq fechou com aumento de 0,14%, aos 2.261 pontos.

O destaque de baixa no setor financeiro hoje veio da seguradora AIG, cujos papéis caíram 30,67% (US$ 12,14) em meio a temores de que agências de classificação de risco diminuam a classificação da companhia. As ações do Lehman Brothers tiveram queda adicional de 13,51% hoje, para US$ 3,65, sem confirmações de interessados em fazer uma oferta pela instituição ou parte dela.

A piora do cenário para o varejo justificou uma queda de 1,20% das ações do Wal-Mart. Dados do governo americano apontaram uma baixa de 0,3% nas vendas do varejo nos Estados Unidos no mês de agosto. O resultado surpreendeu o mercado, que esperava uma alta de 0,4% para o período. Também caíram 4,76% (US$ 20,81) as ações da Macy's e 3,28% (US$ 44,49) os papéis da Best Buy.

A interpretação do mercado é de que os consumidores estão com a confiança tão abalada sobre a economia que mesmo com a baixa dos preços de combustíveis não houve aumento das compras no varejo. A redução do nível de emprego e dos preços dos imóveis há mais de um ano tornam o cenário ainda mais nebuloso para os consumidores.

Em contrapartida, outros grandes papéis, como da Alcoa, subiram 3,80% (US$ 28,67) e os da General Motors ganharam 2,04% (US$ 13,01).

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.