Tamanho do texto

SÃO PAULO - A moeda norte-americana começou o dia fortemente pressionada, voltando para patamares não observados em mais de uma semana. Na máxima chegou a ser cotada a R$ 2,471.

Por volta das 9h45, o dólar comercial era negociado a R$ 2,448 na compra de R$ 2,450 na venda, elevação de 3,85%. No mercado futuro, o dólar para janeiro ganhava 1,06%, para R$ 2,462 na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F).

Parte da alta é atribuída à maior aversão ao risco em âmbito mundial, que também fortalece o preço da moeda norte-americana ante outras divisas como o euro. Está relacionada também ao fluxo negativo recursos.

Para a diretora da AGK Corretora de Câmbio, Miriam Tavares, outro fator a fazer preço no mercado são as determinações da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que ontem editou sete novas normas contábeis. A que causa movimentação no câmbio é a que obriga as empresas a detalhar sua exposição a instrumentos financeiros (derivativos ou não) e fazer um quadro incluindo três cenários de estresse e a reação da companhia a cada um deles.

Na avaliação de Miriam, a edição destas normas estaria estimulando alguns agentes a se antecipar na zeragem de posições vendidas em dólar futuro, uma vez que as normas já se aplicam aos balanços de 2008. " As empresas podem estar se antecipando, pois não querem fechar o balanço do ano com exposições em aberto. "
Miriam também avalia que esta sexta-feira é, praticamente, o último dia útil do ano no mercado cambial, pois a partir das semana que vem importadores e exportadores já estão fora do mercado e apenas as tesourarias de bancos ajustam posições somando ainda mais volatilidade à formação da taxa.

(Eduardo Campos | Valor Online)