Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dólar sobre pelo terceiro dia e já acumula valorização em 2009

SÃO PAULO - Seguindo a piora de humor externo que resulta em queda nas bolsas e menor valor para as commodities, o dólar comercial registrou o terceiro dia seguido de valorização contra o real, passando a acumular alta de 0,51% em 2009. Depois de ensaiar queda no começo do dia, o dólar comercial encerrou a quarta-feira com valorização de 0,81%, valendo R$ 2,344 na compra e R$ 2,346 na venda.

Valor Online |

O Banco Central voltou a atuar no mercado à vista, mas não conteve o aumento de preço. A autoridade monetária também fez dois leilões de dólar voltados ao financiamento de exportações, repassando US$ 1,276 bilhão aos bancos.

Na roda de "pronto" da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F), a moeda teve valorização de 0,84%, fechando também a R$ 2,346. O giro financeiro somou US$ 391 milhões.

Segundo o analista de câmbio da Corretora Liquidez, Mário Paiva, a moeda norte-americana subiu por conta da aversão ao risco, que ganhou nova proporção seguindo a divulgação de uma série de notícias negativas no mercado externo.

Relembrando setembro do ano passado, o setor financeiro voltou ao foco dos investidores, depois que o Deutsche Bank anunciou uma previsão de prejuízo de US$ 6,4 bilhões para o quarto trimestre, e o Morgan Stanley divulgou relatório indicando que o HSBC precisa de US$ 30 bilhões para reforçar o capital.

Segundo Paiva, esse tipo de notícia eleva ainda mais o pessimismo do mercado. "É como uma bola de neve de coisas negativas. O problema todo é a crise de confiança que está levando a aversão ao risco para proporções inimagináveis", avalia o especialista.

No entanto, aponta o analista, por mais pessimista que o mercado venha a ficar, não existe "overshoting" do dólar, ou seja, não existe o risco de uma explosão de preço como a observada em 2002, quando a cotação da moeda saiu de R$ 2,40 para R$ 4,0.

A razão disso, segundo Paiva, é simples. Há um excesso de dólares no mundo e a quantidade de moeda norte-americana em circulação deve aumentar ainda mais, pois o governo dos EUA não pára de emitir dívida para tentar estimular a economia.

Voltando o foco para o mercado de dólar futuro, o especialista aponta que os investidores estrangeiros estão aumentando suas apostas contra o real. Entre ontem e abertura dos negócios hoje, os contratos comprados subiram em mais de US$ 500 milhões.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG