Acompanhando a sinalização negativa do mercado externo, a moeda norte-americana voltou a subir ante o real. Segundo analistas, a alta só não foi mais forte por causa do Banco Central, que fez quatro intervenções no câmbio, em três modalidades diferentes de leilão.

O dólar fechou esta quarta-feira cotado a R$ 2,164, com alta de 3,29%.

O BC realizou, por volta de 14h30, o segundo leilão "de linha", operação na qual oferta dólares ao mercado com o compromisso de recompra em data futura.

A autoridade monetária vendeu os US$ 400 milhões oferecidos. A taxa de câmbio de venda foi de R$ 2,156. O leilão teve a cotação máxima de recompra por parte do BC de R$ 2,196318. Foram aceitas quatro propostas.

A autoridade monetária recomprará as divisas americanas em 15 de janeiro, 90 dias corridos após a liquidação financeira da transação realizada hoje, que acontecerá em 17 de outubro.

As condições são quase as mesmas do leilão feito das 11h às 11h30, quando o BC vendeu US$ 600 milhões do lote de US$ 1 bilhão oferecido. A taxa de câmbio de venda foi de R$ 2,147. O leilão teve a cotação máxima de recompra por parte do BC de R$ 2,187279.

Com informações da Agência Estado e Valor Online

Mais notícias

Para saber mais

Serviço 

Opinião

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.