Bovespa soma perda superior a 50% no ano" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dólar sobe 10% na semana e fecha a R$ 2,327

O Banco Central voltou a fazer quatro leilões no mercado cambial e pode ter vendido um total de cerca de US$ 2,7 bilhões, mas desta vez conseguiu limitar apenas parcialmente o avanço do dólar. O dólar, tanto o comercial quanto o negociado à vista na BM&F, subiu 0,95% e fechou cotado a R$ 2,327. O giro financeiro total à vista encolheu 28%, para cerca de US$ 5,450 bilhões. http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2008/10/24/bovespa_segue_pessimismo_externo_e_fecha_com_queda_de_691_dolar_fica_a_r_2328_2067778.html target=_blankBovespa soma perda superior a 50% no ano

Agência Estado |

No começo da sessão, a moeda foi pressionada pelo pessimismo no mercado internacional e subiu até 3,90%, a R$ 2,395. Contudo, após as atuações do BC, a moeda cedeu até a mínima de R$ 2,295 (-0,43%). A valorização de hoje ampliou os ganhos do dólar comercial para 10,02% na semana, para 22,34% no mês e para 31,10% no ano.

Logo após a estilingada do dólar na abertura, o BC - que já havia anunciado ontem a realização hoje às 12h45 de um leilão de até 30 mil contratos de swap cambial, equivalentes a US$ 1,5 bilhão -, divulgou que faria uma oferta adicional antecipada de até 40 mil contratos de swap, ou US$ 2 bilhões, e ainda um leilão de venda direta de dólares quase que simultâneo, em que teria negociado cerca de US$ 100 milhões, estimou um operador.

Nesta primeira oferta adicional de swap, houve venda parcial de US$ 34.810 contratos, ou US$ 1,706 bilhão. No leilão pré-agendado ontem, o BC também não vendeu o lote integral, mas apenas metade ou 15.500 contratos com três vencimentos, equivalentes a cerca de US$ 751,8 milhões. Com essas três ações, o dólar devolveu os ganhos iniciais e chegou a recuar. Nas operações de swap, a autoridade monetária assume posição vendedora em câmbio e compradora em taxa de juros.

Contudo, o aprofundamento das baixas nas bolsas de valores à tarde, em meio a balanços fracos do terceiro trimestre, o tombo do petróleo apesar do corte de produção anunciado pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e a disparada da moeda americana em relação ao euro no mercado internacional reconduziram o dólar ao terreno positivo ante o real.

O nervosismo e o temor de recessão foram agravados hoje, entre outros fatores, pelo anúncio de que a economia britânica teve contração (de 0,5%) no terceiro trimestre, a primeira desde o segundo trimestre de 1992. Houve alertas negativos de empresas e corrida de investidores para os títulos do Tesouro dos EUA e moedas consideradas mais seguras, com destaque para o iene e o dólar. Por isso, o BC fez um segundo leilão de venda, em que pode ter negociado mais cerca de US$ 160 milhões, apurou um operador. Ainda assim, o dólar persistiu em alta.

Leia mais sobre: mercado financeiro

Leia tudo sobre: mercado

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG