Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dólar segue instabilidade externa e sobe; alta no mês é de 13%

SÃO PAULO - A moeda norte-americana voltou a ganhar força ante o real nesta sexta-feira, refletindo a instabilidade no cenário externo, onde os investidores rumam para o final de semana sem uma definição sobre o resgate ao setor financeiro norte-americano. O dia negativo na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) também estimulou a formação de posições compradas em câmbio.

Valor Online |

Operando em alta desde o começo do dia, o dólar comercial fechou a sexta-feira com valorização de 1,59%, valendo R$ 1,849 na compra e R$ 1,851 na venda.

Com isso, a divisa registra mais uma semana de valorização, a quinta consecutiva, ganhando 1,09%. No mês, a alta já está em 13,2%, e em 2008 o dólar ganha 4,16% sobre o real.

Na roda de "pronto" da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F), a moeda apresentou ganho de 1,76%, para R$ 1,852. O volume financeiro somou US$ 146,75 milhões, cerca de três vezes menor que o observado ontem.

Segundo o operador de mercados futuros da Terra Futuros, Daniel Negrisolo, os investidores continuam aguardando o pacote de saneamento do sistema financeiro norte-americano. As discussões seguem Washington e uma definição é esperada para segunda-feira.

De acordo com Negirsolo, os papéis ligados ao setor financeiro norte-americano estão em uma situação bastante delicada e há preocupação com mais quebras caso a ajuda de US$ 700 bilhões do Tesouro não venha rápido.

Apesar da aparente estabilidade dos mercados, o operador ressalta que existe preocupação com uma corrida bancária, ou seja, correntistas indo às agências em busca de seu dinheiro em espécie. E até já surgiram sugestões de feriado bancário de uma semana nos Estados Unidos.

Ainda de acordo com Negrisolo, a aprovação do plano nos EUA não é garantia de nada. A compra de ativos ilíquidos melhora a situação das instituições financeiras, mas o impacto na economia real é apenas questão de tempo. "Nessa altura do campeonato uma recessão nos Estados Unidos e dada como certa."
Depois de uma semana fora do mercado, o BC voltou a atuar ofertando moeda no mercado à vista com compromisso de recompra no futuro. O leilão de linha colocou US$ 500 milhões no mercado a R$ 1,848. O montante será recomprado em 19 de dezembro.

Agora no final da tarde BC vai sondar os agentes sobre a existência de demanda para a realização de leilão de swap cambial reverso na segunda-feira com o objetivo de rolar os contratos que vencem no dia 1º de outubro de 2008.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG