Tamanho do texto

SÃO PAULO - Contrastando com a puxada de alta de ontem, o mercado de câmbio local apenas perdeu parte do seu viés de baixa depois que mais um país europeu teve sua nota de crédito cortada. Depois de Grécia e Portugal, a Standard & Poor''''''''''''''''''''''''''''''''s reduziu hoje a classificação da Espanha de AA+ para AA, com perspectiva negativa.

SÃO PAULO - Contrastando com a puxada de alta de ontem, o mercado de câmbio local apenas perdeu parte do seu viés de baixa depois que mais um país europeu teve sua nota de crédito cortada. Depois de Grécia e Portugal, a Standard & Poor''''''''''''''''''''''''''''''''s reduziu hoje a classificação da Espanha de AA+ para AA, com perspectiva negativa. Por volta das 12h55, o dólar comercial verificava decréscimo de 0,11%, a R$ 1,761 na compra e R$ 1,753 na venda. Na mínima, a moeda bateu R$ 1,753. No mercado futuro, o dólar com vencimento para maio, negociado na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), perdia 0,50%, a R$ 1,763, depois de cair a R$ 1,7535. Tal movimentação na Europa dá força à expectativa de novas revisões de nota virão, não só nesses países, mas também na Itália e Irlanda, os dois"Piigs"que ainda não foram rebaixos e que tem problemas de endividamento semelhante. No entanto, a"surpresa"com tal movimento foi bem menor do a registrada ontem. De fato, aconteceu um aumento na aversão ao risco, mas muito menor que o da terça-feira. O VIX, que serve de termômetro para esse tipo de reação, subiu cerca de 0,50%, contra mais de 15% ontem, logo após o corte de nota de Grécia e Portugal. (Eduardo Campos | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.