Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dólar opera em baixa pelo segundo dia

SÃO PAULO - O dólar perde força para a moeda brasileira pelo segundo dia. Ao fim da primeira etapa da sessão desta quarta-feira, a divisa americana acompanhava o mercado de câmbio externo, já que o euro também opera em alta.

Valor Online |

Com mínima de R$ 1,767 e máxima de R$ 1,783, há pouco, o dólar comercial recuava 0,67%, transacionado a R$ 1,768 na compra e a R$ 1,770 na venda. Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), a moeda declinava 0,39%, a R$ 1,776.

Ontem, o dólar teve perda de 0,33%, sendo negociado a R$ 1,782 na venda.

Na agenda externa do dia, o Departamento do Comércio americano revelou que as vendas no atacado do país aumentaram 1,3% de dezembro de 2009 para janeiro deste ano e tiveram alta de 10,5% no comparativo com o nível do início de 2009. Já os estoques do setor atacadista registraram baixa de 0,2% na base mensal e declinaram 9,7% em relação a janeiro do ano passado.

A pesquisa da Mortgage Bankers Association (MBA), por sua vez, informou que o volume de solicitações de empréstimos imobiliários nos Estados Unidos subiu 0,5% na semana terminada em 5 de março, em relação à semana antecedente, em uma base ajustada sazonalmente. Na mesma base de comparação, os pedidos de hipotecas para refinanciar empréstimo imobiliário existente tiveram recuo de 1,5%.

No Brasil, como acontece toda a quarta-feira, o Banco Central (BC) mostrou a movimentação do mercado de câmbio. Na primeira semana de março, de 1 a 5, o fluxo cambial estava negativo em US$ 1,205 bilhão. A instituição ainda retirou outros US$ 797 milhões por meio de leilões de dólar. O saldo líquido no mercado ficou negativo em US$ 2,002 bilhões no período. Apesar disso, a moeda americana recuou 1,11% do dia 1 a 5 deste mês.

O BC já realizou hoje leilão de câmbio no mercado à vista, em que a taxa de corte ficou em R$ 1,7714, mas a moeda americana apenas acentuou as perdas depois da operação. No mercado acionário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), avançava mais de 1%.

Para o operador da Finabank, Fábio Oliveira, a depreciação do dólar pode ser justificada pelo movimento do mercado em relação às ofertas de ações em curso no país.

"Está tendo uma forte entrada [de dólar], com a antecipação em relação às próximas ofertas de ações, já que algumas empresas estão se preparando para novos IPOs, como da Casa de Pedra, além da expectativa de a capitalização da Petrobras andar. Esta é a tônica do dia", comentou.

Na avaliação de Oliveira, a tendência para curto e médio prazo é de o dólar permanecer no patamar de R$ 1,75.

(Beatriz Cutait | Valor)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG