Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dólar inverte o sinal e sobe 0,65%, cotado a R$ 2,49

Na contramão da persistente queda externa da moeda americana ante o euro e a libra, o dólar comercial zerou as perdas do dia e passou a subir nesta tarde. Na máxima até o momento, atingiu R$ 2,49, alta de 0,65%, o que levou o Banco Central a anunciar um leilão de venda de dólares.

Agência Estado |

Segundo um operador de um banco nacional em São Paulo, o mercado cambial está com necessidade de dólares uma vez que há fluxo de saída de recursos do País. "O BC está avaliando essa necessidade e, por isso, chamou um leilão de venda até as 15h40", afirmou.

Outro operador de uma corretora paulista também observou que o dólar passou a devolver a queda registrada desde a abertura a partir da divulgação, por volta das 11 horas, do déficit de US$ 435 milhões da balança comercial na primeira semana de dezembro. "Além das saídas financeiras por causa de remessas de lucros e dividendos, o saldo comercial também não está favorável e as perspectivas são sombrias para as exportações brasileiras por causa do cenário de recessão nos EUA, em alguns países europeus e no Japão, além da forte desaceleração econômica global."

O déficit de US$ 435 milhões da balança comercial na primeira semana de dezembro resultou de exportações de US$ 2,987 bilhões (média diária de US$ 597,4 milhões) e importações de US$ 3,422 bilhões (média diária de US$ 684,4 milhões). Com este resultado, o superávit acumulado no ano é de US$ 21,998 bilhões.

Na primeira parte dos negócios, o dólar comercial seguiu a queda externa da moeda em meio aos firmes ganhos das bolsas e dos preços do petróleo, e oscilou de R$ 2,470 (-0,16%) a R$ 2,438 (-1,46%).

Em Nova York às 15h28, o euro subia a US$ 1,2925, de US$ 1,2717 na sexta-feira; a libra avançava a US$ 1,4817, de 1,4690 na sexta-feira; e o dólar subia a 92,94 ienes por dólar de 92,84 ienes por dólar na sexta-feira.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG