SÃO PAULO - A moeda norte-americana encerra a sexta-feira em baixa ante o real, mas garante valorização de 3,13% na semana. O dólar seguiu perdendo valor mesmo com a virada de humor no mercado externo, que puxou as bolsas e as commodities para baixo.

Ao final da jornada, o dólar comercial valia R$ 2,341 na compra e R$ 2,343 na venda, queda de 1,55%.

Na roda de " pronto " da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), a moeda também teve desvalorização de 1,55%, fechando a R$ 2,343. O giro financeiro somou US$ 235,75 milhões.

Segundo operador de mercado que prefere não se identificar, a divisa norte-americana passou por uma correção técnica depois de acumular alta de 4,75% nas últimas quatro sessões.

O especialista aponta que os US$ 400 bilhões destinados ao Citigroup e Bank of America estimularam as vendas no começo do pregão, quando o dólar testou a mínima do dia aos R$ 2,306, ou queda de 3,10%. Mas conforme o humor foi mudando lá fora, as vendas perderam um pouco de ímpeto.

O operador destaca, no entanto, que o mercado continua sem tendência alguma, o que dificulta a realização de negócios. " Não tem como projetar nada, chega a ser desanimador. Projeções, agora, só com bola de cristal. "
A expectativa de algum rumo para o mercado, segundo ele, recai sobre o discurso de posse do presidente-eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, que assume a Casa Branca na terça-feira. " Está todo mundo ansioso com a posse e esperando como o mercado vai responder e que rumo vai tomar. "
Mesmo com o dólar em baixa, o Banco Central atuou no mercado à vista, vendendo moeda a R$ 2,34. Ainda hoje a autoridade monetária sonda os agentes para verificar as condições de demanda e dar início à rolagem dos contratos de swap cambial que vencem em fevereiro. Segundo estimativas do mercado, as posições vincendas somam cerca de US$ 10 bilhões.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.