O dólar comercialefchou em alta nesta segunda-feira no mercado interbancário de câmbio, reagindo a remessas de dividendos ao exterior em meio a uma liquidez reduzida. A queda mais forte das Bolsas em Nova York, que carrega junto a Bolsa de Valores de São Paulo, e a desaceleração dos ganhos do euro em relação ao dólar também influenciam a correção do dólar comercial, disse um profissional de tesouraria de um banco nacional.

A moeda americana fechou cotada a R$ 2,39, com alta de 1,27%.

Essa combinação de fluxo negativo com poucos negócios, uma vez que a clearing de câmbio da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) não está registrando hoje operações com liquidação em dois dias úteis (D+2) de prazo, dá fôlego à valorização do dólar à vista, disse um operador. "Empresas e bancos estão limpando as gavetas", disse a fonte, referindo-se ao envio de recursos ao exterior por causa da proximidade do fim de ano.

Bovespa

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em queda acentuada nesta segunda-feira, influenciada pelo pessimismo dos mercados internacionais.

Por volta das 16h30, o Ibovespa, principal índice da Bolsa paulista, registrava queda de 3,54%, aos 37.7474 pontos.

Em Wall Street, os índices acionários operam em baixa influenciados por notícias desanimadoras sobre o setor automobilístico. A montadora japonesa Toyota advertiu mais cedo que deverá ter prejuízo operacional no atual ano fiscal (que termina em 31 de março de 2009), pela primeira vez na história.

Leia mais sobre Bovespa - dólar

    Leia tudo sobre: bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.