Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dólar fecha com alta, mas ainda vale menos de R$ 2,30

SÃO PAULO - A moeda norte-americana reverteu parte das perdas registradas no pregão de ontem, mas seguiu negociada abaixo dos R$ 2,30. O Banco Central tentou segurar o preço, ofertando moeda no mercado à vista, mas não obteve sucesso.

Valor Online |

Em um pregão instável, o dólar comercial chegou a cair a R$ 2,251 na mínima da manhã, antes de iniciar uma retomada e fechar o dia valendo R$ 2,292 na compra e R$ 2,294 na venda, com valorização de 0,83%. Mas no acumulado da semana, a divisa teve perda de 2%.

Na roda de "pronto" da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F), a moeda teve alta de 0,88%, fechando a R$ 2,295. O giro financeiro somou US$ 289,5 milhões.

Para o gerente de câmbio da TOV Corretora, Reginaldo Siaca, a valorização desta quinta-feira não surpreende, e o que chamou atenção foi a euforia de ontem em meio aos planos de resgate à economia e aos bancos nos Estados Unidos. Também tinham rumores de entrada de moeda no mercado brasileiro.

Segundo Siaca, por mais que tenham expectativas positivas, a situação ainda é bastante complicada no front externo. E no âmbito doméstico não há excesso de moeda que justifique tal queda de preço. Basta lembra que o saldo comercial já está cerca de US$ 700 milhões negativo em janeiro.

Na avaliação do especialista, descontados os solavancos do dia-a-dia, não tem por que o dólar ficar abaixo dos R$ 2,30. O especialista também lembra que a posição comprada (apostas contra o real) no mercado futuro ainda é muito grande para garantir tendência de baixa para a moeda brasileira.

O gerente da TOV também lembra que a proximidade da formação da Ptax (média das cotações ponderada pelo volume) que liquidará os contratos futuros soma instabilidade ao pregão. O vencimento acontece amanhã e deve pressionar a taxa à vista no começo do dia.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG